Cássio vira piada nas redes sociais após defender medidas de combate à corrupção

Citado no ‘listão da Odebrecht’ que contém nomes de mais de 200 políticos brasileiros suspeitos de terem recebidos propinas milionárias da empreiteira, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) foi vítima de um ‘bombardeio’ nas redes sociais, após postar foto conduzindo documentos com assinaturas colhidas na Paraíba em apoio ao pacote das 10 medidas de combate à corrupção propostas pelo Ministério Público Federal.

Leia também:

Sem citar valores, Cássio confirma ter recebido dinheiro da Odebrecht

Doação oficial da Odebrecht a Cássio foi de R$ 4,4 mil; lista apreendida sugere R$ 500 mil

Lava Jato: iniciais de Cássio aparecem em lista como “parceiro histórico” da Odebrecht

“Com muita honra, conduzi as assinaturas dos paraibanos no projeto de iniciativa popular liderado pelo MP com 10 medidas anti-corrupção”, comentou Cássio nas redes sociais. Logo após a postagem, o senador virou alvo de piadas dos internautas.

“kkk isso é uma piada!!!! A não ser que o seu nome seja o primeiro da lista, toda vez que você aparece na TV querendo crucificar os outro contra corrupção a reação dos paraibanos é de muitas risadas, porque sabemos que estás na lista dos mais corruptos do Brasil, não subestime nossas memórias”, comentou uma internauta.

“Meu Deus… Eu só posso rir! A cara de pau não tem limites em um país de memória tão curta! Mas eu lembro que ele foi considerado o senador mais corrupto do Brasil. Até o Google sabe!!”, postou um internauta. “Esse senador foi cassado, vem falar de anticorrupção, o povo não é besta”, ironizou outro.

Face Cassio_valendo

Irritado com a ‘avalanche’ de críticas, Cássio chegou a rebater um dos internautas. “…acusações levianas a sua. Não vai inibir o meu trabalho muito menos me calar”, disse o senador, que também chegou a receber incentivo: “Esse é meu Senador! Continue com essa classe de hoje na tribuna foi muito bom. Só não deixa mais essa parte do outro a atrapalhar seu discurso!”

CCL

Saiba mais

A lista contendo assinaturas de apoiadores de todo o país ao pacote anticorrupção foi levada nesta terça-feira (29) ao Congresso Nacional. As propostas já foram apresentadas para serem votadas e aprovadas pelos parlamentares.

O conjunto de propostas foi lançado em março do ano passado e mobilizou procuradores e promotores em palestras e eventos realizados em todo o país para divulgar e pedir adesão às medidas, que incluem alterações legislativas para prevenir, punir e recuperar desvios de dinheiro público.

Em mais de oito meses de coleta de assinaturas, mais de 1.016 entidades – incluindo igrejas, universidades, associações, empresas e ONGs – manifestaram apoio às medidas.

As propostas incluem mecanismos para dar mais transparência para o Judiciário e o próprio MP. Há uma proposta específica para tornar crime o enriquecimento ilícito por parte de agentes públicos e outra para aumentar as penas para crimes de corrupção, que também se tornaria hediondo. Outra proposta visa reduzir o número de recursos possíveis num processo penal e ainda acelerar ações de improbidade administrativa, envolvendo desvios de recursos.

Comente