O procurador regional eleitoral da Paraíba, Victor Carvalho Veggi, abriu um procedimento preparatório contra a vice-governadora e pré-candidata ao Governo do Estado, Lígia Feliciano (PDT). A portaria foi publicada na edição do Diário Eletrônico do Ministério Público Federal (MPF) desta segunda-feira (18).

De acordo com o documento, Lígia teria praticado suposta propaganda eleitoral antecipada vedada ao divulgar publicação no Instagram patrocinado.

Além de Lígia…

Outro que também está sendo investigado por propaganda eleitoral irregular nas redes sociais é o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que pretende disputar a reeleição.

De acordo com o diário oficial do Ministério Público Federal (MPF), publicado no dia 15 de junho deste ano, Cássio teria patrocinado vários posts em sua página no Facebook – o que não seria permitido pela justiça eleitoral.

Já no dia 8 de junho, o alvo foi o pré-candidato a governador Lucélio Cartaxo (PV).

De acordo com a legislação, a propaganda de candidatos a cargos eletivos somente é permitida após 15 de agosto do ano da eleição. Antes desse período, aos pré-candidatos, é permitido, entre outras atividades, divulgar posicionamento pessoal sobre questões políticas, bem como participar de entrevistas ou debates. Porém, não é permitido o pedido explícito de voto, nem o uso de recursos financeiros em campanha.

Comente