Monteiro está há quase nove meses sem receber água do São Francisco, denuncia prefeitura

O canal da Transposição das águas do Rio São Francisco da cidade de Monteiro, no Cariri da Paraíba, está sem receber água há quase nove meses, de acordo com denúncia da Prefeitura de Monteiro, sob gestão de Anna Lorena. De acordo com a prefeita, desde o dia 22 de fevereiro deste ano o bombeamento foi suspenso devido a um problema na barragem de Cacimba Nova, em Pernambuco.

“Com ou sem Transposição, quase 10 mil pessoas dependem da prefeitura de Monteiro para beber água doce”, afirmou.

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), responsável pela Transposição do Rio São Francisco, não informou à prefeitura uma data específica, mas garantiu que o reservatório de Campos, que fica no município vizinho de Sertânia (PE), de onde a água vai partir para a Paraíba, seria reabastecido neste mês de novembro e, posteriormente, haveria o bombeamento para Monteiro.

Monteiro foi a primeira cidade paraibana a receber as águas da transposição em 8 de março de 2017. Quase três anos depois, o que seria a “redenção” dos povos do Cariri e parte do complexo da Borborema no acesso a água limpa e tratada para beber, irrigar as plantações e matar a sede dos animais, ainda é um sonho distante da realidade.

Somente no mês de outubro, as ações conjuntas dos carros pipa da prefeitura, juntamente com os carros da Operação Pipa do Exercito Brasileiro, abasteceram 337 cisternas de placa, beneficiando diretamente certa de 9.809 pessoas que residem na zona rural do município nas comunidades do Amaro, Angiquinho, Assentamento dos Dez, Barreiros, Bredos, Cacimba de Cima, Camaleão, Espírito Santo, Extrema, Gameleira, Lagoa do Mato, Mutirão, Mulungu, Olho D’água do Silva, Picos, Pitombeira, Poção, Pocinhos, Posto Fiscal, Queimadas, Riacho da Cruz, Riacho Verde, Serra Branca, Serrote, Serrote de Baixo, Serrote de Cima, Sitio do Meio, Tamanduá, Tapagem e Vila Produtiva Rural Lafayete.

Comente