Líder do governo quer prorrogação de decretos emergenciais por mais 15 dias, na Paraíba

Ricardo lembra trajetória de Maranhão para defender a pré-candidatura de João Azevêdo
Deputado estadual Ricardo Barbosa

O deputado Ricardo Barbosa apresentou requerimento ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Adriano Galdino, solicitando que seja encaminhado apelo ao governador João Azevedo no sentido de que seja prorrogado por mais 15 dias o decreto nº 40.135, que dispõe sobre medidas emergenciais em toda a Paraíba em razão da pandemia do coronavírus. As várias medidas contidas no decreto passaram a vigorar desde o último dia 22 e valerão até o próximo dia 6. O deputado excetua do requerimento apenas o item que versa sobre o fechamento de agências bancárias e casas lotéricas.

O líder do governo justifica que os esforços têm de ser mantidos por mais tempo. “Segundo os estudos e artigos de cientistas, especialistas e entidades sanitárias de várias partes do planeta, estamos longe de nos livrarmos com brevidade e em definitivo desse inimigo invisível. Os mesmos estudos apontam que o confinamento ou isolamento social tem se mostrado a melhor maneira de achatamento da curva do avanço da Covid-19 em todo o mundo. E na nossa Paraíba não é diferente”, salienta.

Ele destacou “o competente e determinado esforço do governador João Azevedo e de toda sua equipe de saúde, que nos tem situado entre os estados com os menores índices de pessoas que contraíram ou mesmo foram a óbito em decorrência dessa pandemia”.

Para ele, as medidas de suspensão de algumas atividades, ainda que impactando na economia estadual, tornam-se essenciais ou mesmo imprescindíveis, “ainda que, para alguns, possam parecer cáusticas ou extremamente severas. Cremos, contudo, que elas são tempestivas, acertadas e inadiáveis”.

E continua: “Hoje somos o quarto estado no país com a menor taxa de transmissibilidade por parte do coronavírus entre as pessoas. E é inspirado nesse espírito de conscientização por parte do governo do estado que fazemos esse apelo para a prorrogação do decreto”.

Comente