Eliza Virgínia ofereceu arma para amigo com depressão se suicidar; Código Penal aponta crime

A vereadora Eliza Virgínia (PP) voltou a dar declarações polêmicas. Durante entrevista a Rádio Arapuan FM na quinta-feira (10), a parlamentar afirmou que já ofereceu uma arma de fogo para um amigo que estaria com depressão e ameaçou suicidar-se.

Conforme a vereadora, um amigo que estava com depressão lhe ligou chorando e relatou que iria tirar a própria vida. “Eu disse: ‘Se mate, vamos. Quer que eu dê a arma para você?’. Dei uma bronca tão grande nele que a depressão se curou rapidinho”, declarou ela – aos risos. “Graças a Deus ele saiu [da depressão]. Fique com medo assim, mas ele saiu”, completou.
Na oportunidade, Eliza também afirmou que as doenças psicológicas dos jovens de hoje em dia são “por não saber receber um não”. “Esses meninos precisam saber que existe o ‘não’ na vida. Quando a gente não dá, a vida dá. Essa história de que sofreu bullying e quer se matar, não”, disse.

A vereadora informou que a ministra Damares Alves deve vir à Paraíba, onde divulgará o programa Abrace a Vida, que tem como foco atuar no tocante ao sofrimento psicológico de adolescentes.

Artigo 122

O Artigo 122 do Código Penal Brasileiro versa sobre a indução ou instigação para alguém praticar suicídio. De acordo com o texto da Lei, prestar auxílio para que alguém cometa este ato é crime.

“Art. 122 – Induzir ou instigar alguém a suicidar-se ou prestar-lhe auxílio para que o faça:

Pena – reclusão, de dois a seis anos, se o suicídio se consuma; ou reclusão, de um a três anos, se da tentativa de suicídio resulta lesão corporal de natureza grave.

Parágrafo único – A pena é duplicada:

Aumento de pena
I – se o crime é praticado por motivo egoístico;
II – se a vítima é menor ou tem diminuída, por qualquer causa, a capacidade de resistência”.

Assista

Eliza começa a falar por volta de 1h49 da live.

 

Comente