Afiado, João critica contradição de socialistas em apoiar reformas em PE e ES, mas ataca adequação na PB

O governador João Azevêdo, durante discurso incisivo em agenda que cumpriu no Brejo paraibano nessa sexta-feira (13), fez duras críticas a integrantes do PSB que estão criticando a proposta de reforma da Previdência estadual, mas vão para outros estados geridos pelo PSB e ficam silentes com relação às reformas previdenciárias que eles estão tentando aprovar.

“O mais interessante são essas pessoas que vão em Pernambuco, que é governado pelo PSB, partido que eu pertencia, e que estão aprovando a reforma igual a que estamos apresentando. Como também vão no Espírito Santo, governado pelo PSB, e que aprovou a reforma como a que estamos apresentando”, disse João.

+ João expõe demagogia de ex-aliados e dispara: ‘não serei fantoche de ninguém’

“É muito fácil fazer um discurso no Espírito Santo, em Pernambuco, achando que ninguém vai saber. Não se trata de partido político; no Maranhão, governador pelo PCdoB já aprovou sua reforma. Na Bahia já se cobra há mais de 10 anos os 14%, governado pelo PT. O Ceará, que também é governado pelo PT, já cobra 14% há anos. Não se trata de partido ou ideologia partidária. É uma necessidade por conta da legislação que foi aprovada em Brasília”, prosseguiu.

O governador explicou que todos os estados e municípios serão obrigados a adequar suas previdências a regra que foi estabelecida pela PEC de Brasília.

“O que fizemos foi encaminhar para a Assembleia uma alteração que faz com que a Paraíba continue a receber e ter o certificado de regularidade, porque se não fizer a partir de março ou abril não terá mais o certificado do Instituto de Previdência, e será o caos”, esclareceu.

Ouça:

Comente