O Campinense entrou em campo no último domingo para decidir a vaga para as oitavas de final da Série D do Campeonato Brasileiro, contra o Itabaiana, mas passou o sábado focado no confronto entre Sergipe e Brasiliense. É que o duelo entre sergipanos e candangos definiria o adversário da Raposa, caso o Rubro-Negro avançasse para as oitavas de final. No sábado, deu Brasiliense e, no domingo, o time paraibano também garantiu a classificação. Para o presidente do Campinense, William Simões, a equipe do Distrito Federal era o adversário ideal, já que, com isso, a Raposa vai cansar menos com as viagens do que aconteceria se tivesse que enfrentar o Sergipe.

– Para montar a logística daqui para Brasília, é muito mais fácil porque tem voo direto. Então viajar para Brasília é muito mais fácil. Seria mais difícil, evidentemente, se fôssemos para Sergipe, que são quase 11 horas de ônibus, uma viagem bastante cansativa. Para Brasília, é voo e conexão direta e não cansa o elenco – avaliou o presidente William Simões.

Diferente do confronto contra o Itabaiana, em Sergipe, onde a equipe da Raposa relatou exaustão após a viagem, a ida para Brasília promete ser mais leve. O Rubro-Negro conta com o menor tempo e menos mobilidade para a viagem como ponto positivo para tentar a vitória dentro dos domínios do Brasiliense.

Nesta sexta-feira, a delegação raposeira sairá de ônibus para João Pessoa, após o almoço. Na capital, o elenco embarca em voo direto para Brasília, no Distrito Federal. O jogo, que sofreu alteração pela CBF, será realizado no próximo sábado, às 15h15, no Estádio Maria Abadia, em Ceilândia.

Camara Municipal