Prisão temporária de 11 alvos da operação Famintos é prorrogada pela Justiça

As prisões temporárias dos 11 presos na Operação Famintos da Polícia Federal foram prorrogadas pela Justiça Federal. A informação veio a público nesta segunda-feira (29), após pedido feito pelo Ministério Público Federal (MPF). Com a decisão, todos os presos permanecem por mais cinco dias em reclusão. A prorrogação também atinge a ex-secretária de Campina Grande, Iolanda Barbosa, e a pregoeira, Gabriella Coutinho, que estão em prisão domiciliar por força de habeas corpus.

Investigados que tiveram a prisão temporária prorrogada: Helder Giuseppe Casulo de Araújo (presidente afastado da Comissão de Licitação); Iolanda Barbosa da Silva (ex-secretária de educação de Campina Grande em prisão domiciliar); Gabriella Coutinho Gomes Pontes (pregoeira da Prefeitura de Campina Grande em prisão domiciliar); José Lucildo da Silva (servidor da Prefeitura de Campina Grande); Flávio Souza Maia (empresário); Frederico de Brito Lira (empresário); Luiz Carlos Ferreira de Brito Lira (empresário); Marco Antonio Querino da Silva (empresário); Severino Roberto Maia de Miranda (empresário); Frederico de Brito Lira (empresário); e Kátia Suência Macedo Maia (empresária).

Conforme a Justiça Federal, os prazos das prisões temporárias terminariam no domingo (28). Três investigados, todos empresários, foram liberados pela Justiça: Arnóbio Joaquim Domingos da Silva, Renato Faustino da Silva e Rosildo de Lima Silva. Ainda de acordo com a Polícia Federal, um investigado segue foragido. As informações são do G1 PB.

Comente