Prefeitura de Alhandra esclarece que pregão já estava anulado antes da justiça acatar petição do MPPB

A Prefeitura Municipal de Alhandra através de nota divulgada nesta terça-feira (28), esclareceu sobre a suspensão dos efeitos do pregão presencial no valor de R$ 536 mil, determinada pelo juiz da Comarca da cidade, para a aquisição de plantas ornamentais, em plena pandemia do novo coronavírus.

Confira nota na íntegra:

Nota: Prefeitura de Alhandra esclarece que pregão já estava anulado antes da justiça acatar petição do MPPB

A prefeitura Municipal de Alhandra confirmou a anulação do pregão presencial (027/2020) que objetivava o registro de preços para eventual e futura contratação de empresa para prestação de serviço de ornamentação. A decisão foi oficializada e publicada no Diário Oficial dos Municípios no último dia 22 de abril de 2020 e comunicada ao Ministério Público no mesmo dia.

A gestão municipal aponta que fica sem eficácia nesse momento, a decisão judicial da Comarca de Alhandra desta segunda-feira (27), divulgada pelo Ministério Público da Paraíba, solicitando a tutela antecipada de urgência para suspender os efeitos do pregão presencial que já estava anulado pela Prefeitura.

A Prefeitura esclarece que o procedimento licitatório em questão foi iniciado em meados de fevereiro do corrente ano, ou seja, antes do agravamento da pandemia e muito embora não tenha sido apresentada qualquer ilegalidade no procedimento analisado, a gestão, no intuito de demonstrar a inexistência de qualquer ato que porventura possa ser considerado lesivo, esclarece que não houve qualquer empenhamento ou pagamento referente ao procedimento.

A administração alhandrense reafirma o compromisso com a transparência de todos os processos licitatórios e seguiu a determinação do Ministério Público para revogar o Pregão Presencial.

Comente