João vistoria estrutura do novo Hospital Solidário e UTI para pessoas com coronavírus

O governador João Azevêdo vistoriou, nesta sexta-feira (3), a montagem do Hospital Solidário, que está sendo erguido no estacionamento do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita. O hospital foi anunciado na última segunda-feira (30) pelo chefe do Executivo estadual e irá assegurar, inicialmente, 130 novos leitos de enfermaria, destinados a pacientes da Covid-19.

Na ocasião, o gestor também conheceu as instalações da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que irá oferecer 20 leitos para os pacientes mais graves de coronavírus.

Durante a visita técnica, João Azevêdo afirmou que além dos 20 leitos de UTI, o Hospital Metropolitano terá capacidade para disponibilizar mais 33 leitos de Unidade de Terapia Intensiva, ampliando para 53 o número de vagas para atendimento dos casos mais graves do novo coronavírus.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, o Hospital Solidário deverá ficar pronto nos próximos dias. “As obras estão em ritmo célere e o local ficará disponível integralmente para pacientes de Covid-19. Essa estrutura hospitalar abrange 130 leitos, com possibilidade de ampliação para 200 leitos e uma das vantagens dela é estar ao lado do Metropolitano. A ala vermelha do Hospital Solidário está a 50 metros de uma UTI de alta complexidade, com 20 leitos, que pode chegar a 53 leitos”, explicou.

O diretor geral do Hospital Metropolitano, Antônio Pedrosa, afirmou que toda a estrutura assistencial e administrativa da unidade estará à disposição do Hospital Solidário. “Toda a estrutura assistencial e administrativa do Hospital Metropolitano será usada para manter o Hospital Solidário. Nós temos duas unidades importantes para dar suporte ao hospital de campanha – uma é a UTI de 20 leitos, e a outra, um Centro de Diagnóstico, com tomografias de alta resolução, porque sabemos que os pacientes de Covid-19 precisam realizar tomografias em uma taxa mais elevada que o normal. Além disso, as pessoas que vão trabalhar no Hospital Solidário terão o suporte da nossa estrutura, como a cozinha, o nosso setor de nutrição vai dar o suporte aos pacientes e aos funcionários, e a nossa farmácia vai ser responsável pela dispensação de medicamentos para todos os pacientes que estarão lá”, pontuou.

Ele também destacou todos os cuidados adotados pela unidade hospitalar para isolar os espaços reservados aos pacientes diagnósticos com coronavírus e manter os atendimentos cardiológicos e neurológicos. “Os espaços que estão nas extremidades é que estão sendo preparados para serem zonas de Covid, ficando isolados do centro do hospital, onde permanece o atendimento às pessoas com cardiopatias ou problemas neurológicos. Nós estamos criando barreiras químicas e mecânicas para que os pacientes do perfil do nosso hospital sejam atendidos de forma segura”, assegurou.

Hospital Solidário – A estrutura metálica, com cobertura lonada está sendo montada numa área de 2.490 m². O hospital de campanha atenderá pacientes com casos diagnosticados para o coronavírus, moderados a graves, vindos de todos os 223 municípios paraibanos, por meio de regulação, ou seja, a comunicação entre hospitais para informar onde há leitos disponíveis, facilitando e agilizando o atendimento. Se o caso for grave ou moderado, fica no próprio Hospital Solidário. Se for gravíssimo, deverá ser encaminhado para o Metropolitano que está preparando 53 leitos de UTI, somente para os casos de Covid-19 e ainda disponibilizará o Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI), para o atendimento de casos de coronavírus.

Os profissionais de saúde que trabalharão no Hospital Solidário serão os aprovados, recentemente, no processo seletivo promovido pelo Governo do Estado, para suprir a demanda emergencial de atendimento na rede hospitalar durante a pandemia.

Comente