Operação Famintos: MPF denuncia à Justiça auxiliares de Romero na PMCG

Ação tem como alvo o núcleo de servidores e ex-gestores da Educação. Documento é assinado pela procuradora da República, Acácia Soares Suassuna

Depois de mais de um ano de investigações, desde a deflagração da primeira fase da Operação Famintos, o Ministério Público Federal (MPF) apresentou à Justiça Federal ontem a denúncia que tem como alvo o núcleo de servidores e ex-gestores da Educação de Campina Grande. A denúncia é assinada pela procuradora da República Acácia Soares Suassuna.

Foram denunciados pelo MPF o ex-secretário de Administração do município, Paulo Roberto Diniz; as ex-secretárias de Educação, Iolanda Barbosa e Verônica Bezerra; o atual secretário de educação do município, Rodolfo Gaudêncio, que na época dos fatos investigados era assessor jurídico da pasta; a ex-pregoeira oficial do município, Gabriella Coutinho; o ex-chefe de licitações da prefeitura, Helder Giuseppe; a ex-diretora administrativa da Educação, Maria do Socorro Menezes de Melo; além de outros 10 servidores da prefeitura e 5 empresários.

Na denúncia, o MPF aponta licitações que teriam sido fraudadas com o suposto envolvimento dos denunciados e considera, em um dos trechos, o ex-secretário de Administração Paulo Roberto Diniz como sendo o chefe do suposto ‘esquema’ (no núcleo político).

Para o MPF, a maior parte dos denunciados teria cometido crimes como peculato, fraudes em licitações e organização criminosa. Alguns, porém, como no caso de gestores escolares e empresários envolvidos no suposto ‘esquema’, foram denunciados pelos crimes de corrupção passiva e ativa.

Do Pleno Poder, por João Paulo Medeiros