MDB tenta atrair Cícero Lucena para disputar a PMJP, mas ex-senador resiste

Coube ao senador e presidente estadual do MDB, José Maranhão, o convencimento para que o ex-senador Cícero Lucena (PSDB) se filie aos quadros emedebistas. A informação foi confirmada pelo deputado estadual Raniery Paulino (MDB) durante entrevista ao programa Correio Debate, da 98 FM, no início desta semana.

Segundo o parlamentar, a chegada de Cícero, se confirmada, garante o fortalecimento da legenda em João Pessoa. “Cícero Lucena é um grande quadro e foi um grande homem público e reforça o partido em João Pessoa. É importante que lembremos o histórico de Cícero que, em grande parte, foi no MDB. Foi eleito vice-governador pelo partido, foi governador, prefeito de João Pessoa eleito e reeleito pelo MDB. Então, tem uma trajetória de serviços prestados à Paraíba e à Capital”, afirmou Raniery.

De acordo com o deputado, existe um sentimento de fortalecimento interno para as disputas eleitorais este ano. “Existe um sentimento no MDB de fortalecimento da agremiação. Estive com o presidente Baleia Rossi e esse sentimento existe para vários municípios, principalmente João Pessoa que é o maior município da Paraíba. Então, eu já adianto as minhas boas vindas ao ex-senador Cícero Lucena”, destacou.

A intenção do MDB seria ter Cícero Lucena candidato a prefeito, mas o ex-senador já disse por diversas vezes que não iria mais disputar nenhum mandato. Em conversa com o deputado federal e presidente do PSDB de João Pessoa, Ruy Carneiro, o ex-senador garantiu que não disputará o pleito deste ano e defendeu que o PSDB tenha candidatura própria.

Cícero disse, porém, que não fará campanha para nenhum candidato, mas que seu voto pessoal será em Ruy Carneiro, caso o mesmo seja candidato. “Eu deixei a política e não faço campanha para ninguém. Se eu fosse fazer campanha para alguém, faria para mim, mas estou fora da política”.

O ex-senador passou um bom tempo afastado da vida pública, mas voltou aos holofotes da política com a decisão do Tribunal Regional Federal (TRF) da 5ª Região, que absolveu o tucano no caso ‘Confraria’ depois de 15 anos. “Agora é olhar pra frente. Eu resgatei a verdade da minha história e da minha vida. Foi um aprendizado”, disse.

O TRF reconheceu, por unanimidade, a não ocorrência dos crimes de organização criminosa, formação de quadrilha, fraude à licitação. As informações são do Jornal Correio.

Comente