Manga Rosa aciona Polícia para conter participação popular em sessão extraordinária desta segunda-feira

Em áudio vazado, o presidente da Câmara de Conde, Carlos Manga Rosa (MDB) afirmou categoricamente que acionou a Polícia Militar para conter a população, principalmente indígenas, que deseja acompanhar a sessão extraordinária que pretende instalar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar supostas irregularidades na licitação do lixo realizada na gestão da prefeita Márcia Lucena (PSB).

A licitação em questão foi julgada regular durante sessão, datada em 15 de agosto de 2019. Em setembro deste mesmo ano, as contas referentes ao exercício do ano 2017 da prefeita Márcia Lucena foram aprovadas por unanimidade pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB).

Outra questão está relacionada a notificação para a sessão, que de acordo com o parlamentar, foi recebida por email nos celulares dos demais vereadores e consta na porta da Câmara e no quadro de avisos, mas que deve ser feita por meio ofício aos vereadores, assinado e datado, comprovando o recebimento. As informações são do Primeiras Notícias.

Ouça:

Comente