Intervenção em Bayeux: “existe, é real, é legal e faz parte da lei”, diz Ronaldo Guerra

Ele lembrou que o atual prefeito interino, Jefferson Kita tem feito um bom trabalho no município e a cidade tem reagido ao difícil cenário que vivenciou nos últimos anos

O presidente do Cidadania e secretário chefe do Governo do Estado da Paraíba, Ronaldo Guerra, em entrevista ao programa F5 da Rádio Pop FM, explicou sobre a possibilidade de uma intervenção do Governo do Estado em Bayeux.

O pedido de intervenção na cidade foi solicitada pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE) e aprovado pela Câmara Municipal de Bayeux, em março deste ano. De acordo com Ronaldo Guerra, a intervenção estadual é possível e o governador poderá executar, caso seja necessário.

“Todo nós sabemos que legalmente é possível fazer isso, e se for o caso e se for preciso, o governador fará. Não tenho dúvidas”, afirmou.

Ronaldo lembrou que o atual prefeito interino, Jefferson Kita, vem realizando um trabalho no município onde já conseguiu colocar a folha de pagamento em dia e tem feito Bayeux reagir ao difícil cenário vivenciado nos últimos anos.

“Ele já colocou a folha de pagamento em dia, que estava dois meses atrasada. Para você ter ideia o município hoje está revitalizado financeiramente, de forma que está pagando em dia a todo mundo, com os funcionários recebendo dentro do mês”, ponderou.

Guerra disse que chegou a conversar com Kita sobre as principais necessidades para o município, no momento em que o gestor assumiu o comando da cidade. Ele aconselhou o prefeito a cuidar das questões administrativas e de governança, mantendo a limpeza urbana, cuidando da iluminação pública, dos pagamentos de pessoal. Segundo ele, é exatamente isso que vem acontecendo, o que é muito positivo para o município.

Ronaldo teme que uma eleição indireta possa retirar de Bayeux o ritmo que a cidade tem vivenciado. De forma muito clara, o secretário garantiu que se necessário, poderá haver intervenção do Governo do Estado.

“O medo que nos apresenta é nessa embrulhada de eleição indireta Bayeux voltar ao que era há 90 dias. Esse é o grande risco que a população não aceita mais. A população não pode suportar retroagir o que era Bayeux há 60, 90 dias. Eu conheço e sei que intervenção é muito traumático, mas se for necessário, o governador fará. Se for necessário, o governador fará. Ele deverá estudar essa possibilidade, ela existe, ela é real, é legal, faz parte da lei. Portanto, não seria impossível”.

Ouça

Comente