A vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) afirmou, na manhã desta segunda-feira (2), que não pretende alimentar especulações sobre as eleições do próximo ano. Ela mandou um recado contudente: seu posicionamento só será publicizado apenas em 2018.

“Eu tenho dito que não é de hoje que essa questão de política eleitoral é cedo para se falar. Eu acho que apenas no próximo ano é que começaremos a discutir as candidaturas. Esse ano, 2017 é ano ainda de muito trabalho. É normal haver muita especulação em um ano pré-eleitoral, mas eu só vou me posicionar sobre esses assuntos só no ao que vem”, afirmou uma impaciente Lígia, ao ser questionada sobre as eleições, durante solenidade de entrega de duas escolas estaduais.

Lígia ainda foi questionada se já se sentia preparada para assumir o Governo do Estado, caso o governador Ricardo Coutinho (PSD) decida ser candidato a senador. “Eu sou preparada desde o primeiro dia que Ricardo me escolheu como vice-governadora”, disparou.

Ricardo permanece no cargo?

O líder do governo na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) Hervázio Bezerra (PSB) garantiu, na manhã desta segunda-feira (2), que não há possibilidade do governador Ricardo Coutinho (PSB) ser candidato a senador nas eleições do próximo ano. De acordo com ele, os planos do socialista é se manter “sentado na cadeira comandando as ações do governo” para fortalecer a pré-candidatura de João Azevedo.

“Eu integrava a corrente que defendia (dentro do PSB), inclusive em uma reunião de cúpula, uma candidatura de Ricardo para o Senado Federal, que a própria oposição reconhece que seria uma candidatura extremamente competitiva. Mas é aquela história: tudo na vida tem um tempo. Eu, pela convivência que tenho com Ricardo, nós fomos eleitos vereador de João Pessoa em 1992, convivi com Ricardo na mesma bancada, e essa convivência nos dá uma ligação muito forte, mas em todo este tempo, eu nunca vi Ricardo Coutinho blefar”, atestou.

Hervázio ainda explicou as razões desta decisão do governador. “A todos que já chegaram nele manifestando essa vontade de tê-lo como candidato em 2018, ele sempre foi muito enfático em afirmar que ele tem um projeto de vida. E o que é esse projeto de vida? É não permitir que a Paraíba retroceda. Ele quer continuar sentado na cadeira comandando as ações do governo que, obviamente, reflete na pré-candidatura de João Azevedo”, declarou.

 

Comente