- Publicidade -
Política

Escândalo da Lagoa: MPF convoca ex-secretário de Cartaxo para depor

As próximas oitivas do inquérito civil público que investiga desvio de, aproximadamente, R$ 10 milhões de reais nas obras de revitalização do Parque Solon de Lucena (Lagoa), executadas na gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PSD), estão agendadas para os dias 15 e 16 de agosto. Desta vez, o procurador da República Yordan Delgado, responsável pelo inquérito, convocou o ex-secretário de Planejamento da Prefeitura de João Pessoa, Rômulo Polari, e um engenheiro da empresa Compecc, responsável pela obra.

- Continua depois da publicidade -

Até o momento, já foram ouvidos empresários e engenheiros da empresa, que executou o desassoreamento e extração das 200 mil toneladas de lixo publicizadas pela gestão da Prefeitura de João Pessoa.

Leia mais:

Após depoimento contraditório, MPF diz que aguarda relação de veículos usados na obra da Lagoa
Em nota, PMJP admite que já foi ouvida pela Polícia Federal sobre obra da Lagoa
Exclusivo: CGU põe em xeque capacidade da PMJP sobre o controle da obra da Lagoa
PMJP não sabe sequer dizer quantos veículos transportaram lixo da Lagoa
CGU diz que veículos usados no transporte do lixo da Lagoa eram “incompatíveis”
Depoimentos de envolvidos na obra da Lagoa ao MPF contradizem planilhas da PMJP e reforçam as denúncias da CGU
Obra da Lagoa: após ‘desdém’ da PMJP, CGU reage: “ninguém gosta de ser fiscalizado”
Secretário da PMJP diz que CGU não tem capacidade para auditar obra de engenharia

São muitas as divergências de informações em apenas dois depoimentos, se confrontadas com o relatório da Controladoria Geral da União (CGU). E tais divergências não são favoráveis para a credibilidade e transparência da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) quanto à obra de revitalização do Parque Solon de Lucena (Lagoa). Ao menos foi isso que o procurador da República do Ministério Público Federal (MPF) Yordan Delgado, durante coletiva de imprensa, expôs, ocorrida em 26 de maio.

Yordan explicou que desde que o inquérito civil, que investiga crime de improbidade administrativa que teria sido praticado pela gestão da PMJP nesta obra, foram analisadas as irregularidades apontadas pela CGU e até o momento, foram realizadas três oitivas de empresários e engenheiros das empresas responsáveis pela obra.

Uma das divergências, constatadas nos depoimentos do empresário Eduardo Ribeiro Victor e do engenheiro Glauco Cavalcanti, ambos da Compecc, empresa responsável pelo desassoreamento e anel sanitário da Lagoa, é a lista de veículos utilizados no transporte das 200 mil toneladas de resíduos retiradas do Parque.

Para a equipe de fiscalização da CGU, os responsáveis da empresa Compecc afirmaram que foram usados 110 veículos neste processo, sendo eles caminhões com capacidade 6 metros cúbicos. Destes 110 veículos, 36 placas estariam irregulares, por se tratarem de informações de carros de passeio e motocicletas. Informação ratificada pela própria PMJP, em resposta à auditoria.

Já na oitiva do MPF, a empresa relatou que foram utilizados 45 caminhões de 16 metros cúbicos de sua frota e mais 13 caminhões de 12 metros cúbicos terceirizados. Além da redução da frota, a terceirização não foi informada à CGU e com relação às placas irregulares, a justificativa foi de que houve erro de digitação por parte do fiscal da Secretaria de Infraestrutura de João Pessoa.

“Inclusive, a empresa ficou de trazer a relação das placas de todos os veículos utilizados, tanto os da empresa quanto os terceirizados, mas ainda não nos foi entregue esta relação”, acrescentou.

Outra inconsistência destes depoimentos foi sobre a quantidade de resíduos retirados da Lagoa. A empresa confirma que foram retiradas 200 mil toneladas, mas, de acordo com o procurador, ela admite que o montante retirado e transportado até o aterro sanitário não foi pesado em sua totalidade.

“Os responsáveis pela empresa nos informaram que se deixou de fazer a pesagem de todo o material e que só foi feita no início. Eles explicaram que se fizessem a pesagem todos os dias, poderia prejudicar o andamento da obra. Se se queria transparência no processo, a pesagem seria uma forma eficaz de se provar. Portanto, nós vamos verificar até foi feita a utilização da balança e os motivos para não usá-la”, declarou.

 

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected] | WhatsApp: (83) 98176 - 1651

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. ISSO É RETALIAÇÃO, PERSEGUIÇÃO POLÍTICA – LUCIANO CARTAXO É UM POLÍTICO HONESTO, UM CIDADÃO DE BEM, HOMEM HONESTO E TRABALHADOR. ESTÁ FAZENDO UMA EXCELENTE GESTÃO EM JOÃO PESSOA, TÃO BOA QUANTO A DE RICARDO COUTINHO. MERECE SER REELEITO. PARABÉNS LUCIANO. TEM O MEU RESPEITO E ADMIRAÇÃO. MOREI EM JP POR 17 ANOS E ACOMPANHO SUA HISTORIA A SUA E A DE LUCÉLIO OUTRO GRANDE CIDADÃO, INCLUSIVE VOTEI NELE PRA SENADOR E GOSTARIA DE VOTAR NOVAMENTE NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES. O PROBLEMA DE RICARDO COUTINHO É QUE QUER SER ESTRELA SOZINHO NA PARAÍBA, SOMENTE ISSO. NÃO QUER QUE OS OUTROS BRILHEM NEM AMIGOS COMO EU QUE O SEGUI DESDE SUA PRIMEIRA CAMPANHA DE PREFEITO EM JP.É LAMENTÁVEL.

  2. ISSO É RETALIAÇÃO, PERSEGUIÇÃO POLÍTICA – LUCIANO CARTAXO É UM POLÍTICO HONESTO, UM CIDADÃO DE BEM, HOMEM HONESTO E TRABALHADOR. ESTÁ FAZENDO UMA EXCELENTE GESTÃO EM JOÃO PESSOA, TÃO BOA QUANTO A DE RICARDO COUTINHO. MERECE SER REELEITO. PARABÉNS LUCIANO. TEM O MEU RESPEITO E ADMIRAÇÃO. MOREI EM JP POR 17 ANOS E ACOMPANHO SUA HISTORIA A SUA E A DE LUCÉLIO OUTRO GRANDE CIDADÃO, INCLUSIVE VOTEI NELE PRA SENADOR E GOSTARIA DE VOTAR NOVAMENTE NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES. O PROBLEMA DE RICARDO COUTINHO É QUE QUER SER ESTRELA SOZINHO NA PARAÍBA, SOMENTE ISSO. NÃO QUER QUE OS OUTROS BRILHEM NEM AMIGOS COMO EU QUE O SEGUI DESDE SUA PRIMEIRA CAMPANHA DE PREFEITO EM JP.É LAMENTÁVEL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar