Deputada paraibana e radialista discutem feio ao vivo; ouça o áudio

O clima esquentou durante entrevista da deputada estadual Estela Bezerra (PSB) ao programa ‘Correio Debate’, na tarde desta quinta-feira (16). Ao ser questionada sobre a Operação Calvário, a socialista tentou iniciar um raciocínio que começava com o contexto nacional.

“Por exemplo, o grupo de Dallagnol errou. Ele fez toda a denúncia de Lula baseada em convicções. Os juristas do mundo inteiro fazem crítica à condução do grupo de Dallagnol”, citou.

Nilvan questionou, então, se o grupo Octávio Paulo Neto, Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado do Ministério Público do Estado da Paraíba (Gaeco) também havia errado, tentando trazer da parlamentar uma resposta estadual.

“Eu não disse isso, o que eu disse, eu disse. Você que está criticando o Ministério Público, não eu”, ressaltou Estela.

O radialista, por sua vez, acusou o PSB de estar sendo investigado pelo Ministério Público da Paraíba, usando a deputada como uma representação do partido.

“Eu não estou sendo investigado não, quem está é o PSB. O seu partido está [sendo investigado]”, afirmou.

Estela, em contrapartida, lembrou da Operação Vitrine, na qual lojas de Nilvan sofreram mandados de busca a apreensão por supostamente estarem comerciando produtos falsificados de marcas famosas.

A partir daí, Nilvan, perdeu a compostura, se disse vítima de uma armação do governo na época e não permitiu mais que Estela falasse até o fim do programa.

A deputada pediu intervenção da diretoria da rádio para ter direito de resposta e disse que Nilvan tinha avidez em acusar os outros, mas ficou “descontrolado” quando um caso o envolvendo foi mencionado.

OUÇA:

Comente