Cássio diz que STF se “intrometeu” no poder da Câmara ao afastar Cunha

O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PSDB), repercutiu, durante entrevista ao site G1, a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki de afastar o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na quinta-feira (5).

Enquanto uns argumentam que já havia passado da hora de Cunha ter deixado a presidência da câmara, Cássio defende que Teori agiu de maneira estranha.

“É uma decisão atípica primeiro porque, até onde eu lembro, é a primeira vez que acontece; segundo porque pode ser interpretada como uma intromissão de um poder em outro; terceiro porque, no próprio despacho, o ministro diz que não encontra, na norma constitucional, previsibilidade para isso. Então é uma medida excepcional, mas, diante da procrastinação, da obstrução que Eduardo Cunha vinha fazendo no processo de investigação da Câmara e diante do fato iminente de se tornar o segundo na linha sucessória na próxima semana, alguma providência precisava ser tomada, em nome do país, em nome da estabilidade mínima que a nação precisa ter. Às vezes para salvar o corpo você tem que amputar um membro. A medida foi correta”, declarou.

Para ler a reportagem completa no G1, clique aqui.

Comente