28 C
Joao Pessoa
quinta-feira, 21 janeiro 2021
Início Brasil Após decisão judicial, Twitter suspende conta de Luciano Hang pela 2ª vez

Após decisão judicial, Twitter suspende conta de Luciano Hang pela 2ª vez

Empresário aliado do presidente Jair Bolsonaro é investigado no inquérito das fake news e é alvo de outra investigação por disseminação de notícias falsas

A conta no Twitter do empresário Luciano Hang, proprietário da rede de lojas Havan, foi suspensa nesse domingo (10) por decisão judicial, segundo informou a própria rede social. Esta é a 2ª vez que a conta é bloqueada. 

Hang, que é aliado do presidente Jair Bolsonaro, é investigado no inquérito das fake news, do STF (Supremo Tribunal Federal), e é alvo de outra investigação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), por disseminação de notícias falsas.

“A conta de @luciano_hang foi retida no Brasil, e no mundo todo, em resposta a uma demanda legal”, lê-se em mensagem publicada no perfil do empresário na rede social.


O Twitter diz que leva em consideração as “leis locais aplicáveis” para bloquear contas.

“Se recebermos uma solicitação válida e devidamente escopo de uma entidade autorizada, pode ser necessário reter o acesso a determinado conteúdo em um determinado país de tempos em tempos. Essas retenções serão limitadas à jurisdição específica que emitiu a demanda legal válida ou quando o conteúdo tiver sido encontrado para violar as leis locais”, afirma a empresa.

Hang já havia sido banido da rede social em julho de 2020, também por decisão judicial. Na época, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinou o bloqueio da conta do empresário, que é investigado por suposta disseminação de notícias falsas.

Na decisão de julho, Moraes afirmou que a medida era para evitar novas condutas criminosas.

“Considerando-se a necessidade do correto cumprimento da ordem judicial de bloqueio de perfis utilizados pelos investigados nestes autos, evitando-se que continuem a ser utilizados como instrumento do cometimento de possíveis condutas criminosas apuradas nestes autos”, escreveu o ministro.

Do Poder 360