Greve dos petroleiros prejudica produção de petróleo e gás, diz ANP

    0

    A produção total de petróleo e gás natural nos campos do país fechou novembro de 2015 em 2,970 milhões de barris de petróleo e gás natural (óleo equivalente) por dia. Os dados foram divulgados hoje (5) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás natural e Biocombustíveis (ANP).

    Eles mostram que a produção de petróleo atingiu em novembro 2,38 milhões de barris por dia, uma queda de 1,1% na comparação com outubro, mas um crescimento de 0,9% em relação ao mesmo mês de 2014.

    Já a produção de gás natural encerrou novembro com retração de 3,5% em relação a outubro, somando 94,2 milhões de metros cúbicos por dia. O volume, quando comparado a igual mês de 2014, representa aumento de 2,7 %.

    Na avaliação da ANP, a redução da produção entre novembro e outubro foi decorrência de “diversas interrupções de produção, em diferentes plataformas, devido a greve de funcionários da Petrobras, que durou aproximadamente 15 dias”.

    As informações indicam, ainda, que 306 concessões produtoras foram operadas em novembro do ano passado por 25 empresas, das quais 82 são concessões marítimas e 224, terrestres. Do total das concessões produtoras, oito são relativas a contratos de áreas contendo acumulações marginais.

    O grau API médio do petróleo produzido em setembro foi de 25, sendo 7,5% da produção considerada óleo leve (igual ou maior que 31° API); 60,2% óleo médio (entre 22º e 31º API); e 32,3% de óleo pesado (menor que 22º API).

    Quanto maior o grau API, melhor e mais fino o petróleo produzido.

    Os dados da ANP indicam, ainda, que o Brasil aproveitou, em novembro, 96,5% do gás natural produzido nos campos petrolíferos.

    O percentual significa uma queima de gás em novembro de apenas 3,3 milhões de metros cúbicos por dia, uma redução que chega a 19,5%, se comparada ao mês anterior e de 24,8% em relação ao mesmo mês em 2014.

    Pré-sal

    Mesmo com a paralisação de plataformas em decorrência da greve dos petroleiros, a produção de petróleo e gás natural proveniente dos 53 poços do pré-sal fechou novembro do ano passado com aumento de 1,7%, em relação a outubro, atingindo 1,023 milhão de barris de petróleo e gás natural.

    Segundo dados divulgados pela ANP, isoladamente, a produção de petróleo chegou em novembro a 820,2 mil barris por dia. Já a produção de gás natural fechou o mês em 32,3 milhões de metros cúbicos por dia.

    Os poços do pré-sal são aqueles cuja produção é realizada no horizonte geológico denominado pré-sal – abaixo da camada do sal.

    Campos produtores

    Os dados disponibilizados pela Agência Nacional do Petróleo revelam que os campos marítimos responderam por 93,7% do petróleo produzido em novembro de 2015 e por 76,1% do total do gás natural.

    A produção de petróleo e gás natural ocorreu em 8.950 poços, sendo 779 marítimos e 8.171 terrestres. Já os campos operados pela Petrobras produziram 93,8% do petróleo e gás natural.

    O campo de Lula, na Bacia de Santos, voltou a ser o maior produtor de petróleo e gás natural, com uma média de 380,8 mil barris diários de petróleo e 18,1 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural.

    Já Carmópolis, na Bacia de Sergipe, teve o maior número de poços produtores: 1.056. Marlim, na Bacia de Campos, foi o campo marítimo com maior número de poços produtores: 61.

    As bacias maduras terrestres (campos/testes de longa duração das bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo, Sergipe e Alagoas) produziram 148,8 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 124,8 mil barris diários de petróleo e 3,8 milhões de metros cúbicos de gás natural.

    Do total, 145,6 mil barris de óleo equivalente por dia foram produzidos pela Petrobras e 3,2 mil por concessões não operadas pela Petrobras. As informações são da Agência Brasil.

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here