UFPB realiza força-tarefa para testagem da Covid-19 nesta terça-feira

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) realiza, na sala de coleta localizada no Centro de Ciências Médicas (CCM), uma força-tarefa para a realização de exames para diagnóstico da Covid-19. Denominada de “Força Tarefa Fila zero”, a ação, que teve início nesta segunda-feira (24) e acontece também nesta terça-feira (25), busca suprir a demanda universitária e zerar a fila de solicitações da comunidade acadêmica que buscaram o serviço.

O exame realizado é o tipo é considerado o exame “padrão ouro” ou “padrão referência” para detecção do vírus Sars-CoV-2, o de transcrição reversa seguida de reação em cadeia da polimerase (RT-PCR).

O exame é oferecido para quem está em atividade presencial regular na UFPB (professor, estudante, servidor técnico-administrativo e colaborador de terceirizadas), que esteja entre o 3º e 10º dia de sintomas. Os resultados são disponibilizados pelo e-mail do paciente, informado no formulário de teleatendimento. O prazo para a entrega do resultado é de até 48 horas.

Segundo a Comissão de Biossegurança Institucional da UFPB, houve um aumento da procura no mês de janeiro e cerca de 60% das amostras testadas da comunidade acadêmica foram positivas para a Covid-19. A média que, antes, era de cinco testes diários, aumentou para algo em torno de 12 a 20 testes por dia. Ontem, dia 24, foram realizados 32 exames durante a força-tarefa.

Segundo o Prof. Bruno Galvão, que também é membro da Comissão de Biossegurança da UFPB, o aumento na procura reflete o cenário paraibano atual, “visto que os casos estão aumentando e isso também aumenta a procura pela comunidade acadêmica da UFPB”.

O professor ainda ressaltou o objetivo da ação. “A força-tarefa foi desenvolvida em expedientes extras para sanar toda a demanda. Queremos zerar a fila de solicitações da comunidade universitária que buscaram nosso serviço. Por isso a Comissão de Biossegurança da UFPB, junto com os laboratórios de testagem do Centro de Ciências Médicas – CCM e Centro de Ciências da Saúde – CCS, resolveu ampliar as coletas”, explicou o Prof. Bruno Galvão.

A enfermeira e membro da Comissão de Biossegurança da UFPB, Luciana Gomes Furtado, também falou sobre o aumento da demanda e a expectativa para a “Força Tarefa Fila zero” Até o momento, mais de 330 formulários, a fim de realizar a testagem, foram preenchidos. A expectativa é que 200 testes sejam realizados ainda essa semana.

“Nossa triagem tem recebido, diariamente, uma demanda alta de formulários solicitando testes. Em dezembro, tínhamos uma média de 30 testes semanais, no máximo. Dessa forma, foi preciso buscar colaboração tanto de médicos para a teleconsulta como também aumentar a oferta de testes”, disse a enfermeira.

Para agendar, o interessado terá que preencher um formulário online informando alguns dados pessoais. Caso tenha dificuldades no preenchimento deste formulário eletrônico, basta entrar em contato com a equipe de Biossegurança da UFPB, clicando no link.

Uma triagem é realizada e, após isso, a equipe marca uma consulta por teleatendimento com o paciente. Apenas a coleta acontece de forma presencial. Não são aceitas requisições médicas externas para a realização do exame.

Aqueles que têm o cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) devem informar no ato de preenchimento do formulário para solicitação de teleatendimento e apresentá-lo no atendimento presencial, na Sala de Testagem, junto com a declaração de que realmente se encontra em atividade presencial na UFPB.

Dúvidas podem ser enviadas pelo e-mail biosseguranca@reitoria.ufpb.br. O telefone de contato (83) 99344-9355 também fornece informações.

A análise das amostras colhidas vão para um dos três laboratórios da universidade destinados a esse fim: Laboratório de Vigilância Molecular, da Escola Técnica de Saúde, Laboratório de Biologia Molecular, do Centro de Ciências Médicas e o Laboratório de Endemias, do Núcleo de Medicina Tropical.

A coleta do swab acontece das 8h às 12h, na sala localizada no térreo do Centro de Ciências Médicas (CCM) da UFPB, em João Pessoa.