O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) autorizou a Câmara Municipal de Cabedelo, na Grande João Pessoa, a cortar os salários dos vereadores afastados na Operação Xeque-Mate, durante a sessão plenária desta quarta-feira (13).

O Tribunal entendeu pela ilegalidade e consequente suspensão de pagamentos e de remuneração a agentes políticos e servidores públicos afastados do serviço por decisão judicial. A decisão ocorreu em harmonia com o parecer do Ministério Público de Contas.

A presidente da Câmara de Cabedelo, Geusa Ribeiro, afirmou que os salários podem ser cortados ainda este mês e que a suspensão desse pagamento pode gerar uma economia de cerca de R$ 100 mil por mês aos cofres da Casa.

Ainda não há decisão sobre o corte dos salários do prefeito e do vice-prefeito, que também foram afastados durante a Operação Xeque-Mate.

A Operação Xeque-Mate, da Polícia Federal, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba, teve como objetivo de desarticular um esquema de corrupção na administração pública do município de Cabedelo.

A Polícia Federal cumpriu 11 mandados de prisão preventiva, 15 sequestros de imóveis e 36 de mandados busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça da Paraíba. Além dos mandados, a Justiça decretou o afastamento cautelar do cargo de 85 servidores públicos, incluindo o prefeito e o vice-prefeito de Cabedelo, o presidente da Câmara Municipal e mais nove vereadores.

As informações são do G1

Camara Municipal