“Quem for favorável a abrir o comércio não deve aceitar respiradores”, diz médica de CG

“Bom essa mesma comissão assumir a responsabilidade do que vai acontecer em abril. Como médica e pesquisadora lavo minhas mãos, mas é bom cada um assumir a responsabilidade pelos seus atos”. A afirmação é da médica e pesquisadora Adriana Melo, ao comentar sobre uma carreata, marcada para esta sexta-feira (27), que empresários de Campina Grande estão promovendo para pedir a reabertura do comércio na região, medida para conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19). A ação vai contra as recomendações das autoridades públicas e de saúde.

Uma carreata também está prevista para acontecer em João Pessoa, neste sábado (28), com o mesmo intuito. Inflada por campanhas publicitárias do Governo Federal e por discursos do próprio presidente Jair Bolsonaro, alguns brasileiros estão pondo à vida em risco.

A médica campinense Adriana Melo, que é especialista em Medicina Fetal e referência no tratamento da microcefalia no Brasil, utilizou suas redes sociais para dar um recado de forma dura e direta. Para ela, esses que sugerem o apoio a essa medida devem abrir mão de respiradores, quando foram internados com a suspeita do vírus.

“Sugiro que quem for favorável acabar com o isolamento social e abrir o comércio, assinar um termo dizendo que abre mão de um respirador quando nós, profissionais da saúde, tivermos que escolher quem vai morrer ou viver”, disse Adriana.

Comente