Profissionais da Saúde em Conde participam de capacitação para diagnóstico e prevenção da sífilis

Os profissionais da saúde do município de Conde estão participando da Oficina de Capacitação para Enfrentamento da Sífilis na Atenção Básica. A capacitação, realizada pela Prefeitura de Conde, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, tem como objetivo, fortalecer as ações nas áreas de prevenção, diagnóstico e tratamento da doença. O curso iniciou na quarta-feira (11) e encerra nesta quinta-feira (12).

Durante a oficina, a Chefe de Atenção Básica do município, Alana Franco, destaca a importância das capacitações destinadas aos profissionais das Unidades Básicas de Saúde de Conde. “É necessário tornar a atenção básica a mais resolutiva possível, tratando os problemas de saúde da população, sem a necessidade de encaminhar para outros serviços da rede de saúde. Capacitar estes profissionais para o diagnóstico e tratamento da sífilis, significa agilizar o início do tratamento e potencializar a cura”, ressaltou.

A Secretária Adjunta de Saúde, Jória Viana, disse que “as ações acontecem para que os profissionais e gestores da saúde estejam sempre aptos a participarem de campanhas de esclarecimento à população, sobre a importância da prevenção, dos diagnósticos e do tratamento de diversas patologias. Vivemos uma situação, onde cada vez mais jovens são infectados pelas ISTs como a sífilis, é preciso que as famílias conversem sobres estas infecções, pois em muitas situações, eles veem a abordagem de forma equivocada nas redes sociais, por isso é importante que todos os setores da saúde, estejam aptos a esclarecer, quer seja as famílias, ou aos profissionais de forma ampla”, destacou.

A oficina foi ministrada pela Coordenadora do Núcleo de IST/AIDS da Secretaria de Estado da Saúde, Joana Angélica Araújo, a Coordenadora do Departamento de Vigilância em Saúde do município de Mamanguape, Gianeide da Silva Camargo e o Médico Obstetra do Hospital Universitário de João Pessoa e Coordenador do Programa de Acompanhamento de gestantes com IST/AIDS, Otávio Pinho. Ao final da capacitação, foi lançado o Protocolo Municipal para o tratamento de Sífilis na Atenção Básica do município de Conde.

A Sífilis

É uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) curável e exclusiva do ser humano, causada pela bactéria Treponema pallidum. Pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios (sífilis primária, secundária, latente e terciária). Nos estágios primário e secundário da infecção, a possibilidade de transmissão é maior. Os maiores sintomas da sífilis ocorrem nas duas primeiras fases, período em que é mais contagiosa. Ela se inicia com feridas nos genitais e outras áreas do corpo como boca e ânus, que podem desaparecer espontaneamente, dando a falsa impressão de cura.

Formas de transmissão

A sífilis pode ser transmitida por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada, ou para a criança durante a gestação ou parto.

Diagnóstico

O teste rápido (TR) de sífilis está disponível nos serviços de saúde do SUS, sendo prático e de fácil execução, com leitura do resultado em, no máximo, 30 minutos, sem a necessidade de estrutura laboratorial. O TR de sífilis é distribuído pelo Departamento das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais/Secretaria de Vigilância em Saúde/Ministério da Saúde (DIAHV/SVS/MS), como parte da estratégia para ampliar a cobertura diagnóstica.

Nos casos de TR positivos (reagentes), uma amostra de sangue deverá ser coletada e encaminhada para realização de um teste laboratorial (não treponêmico) para confirmação do diagnóstico.

Em caso de gestante, devido ao risco de transmissão ao feto, o tratamento deve ser iniciado com apenas um teste positivo (reagente), sem precisar aguardar o resultado do segundo teste.

Tratamento

O tratamento de escolha é a penicilina benzatina, que poderá ser aplicada na unidade básica de saúde mais próxima de sua residência.

Prevenção

O uso correto e regular da camisinha feminina ou masculina é uma medida importante de prevenção da sífilis. O acompanhamento das gestantes e parcerias sexuais durante o pré-natal de qualidade contribui para o controle da sífilis congênita.

Camara Municipal

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected]