Cássio diz que governo é “peso na vida do cidadão” e propõe enxugar máquina estatal

O candidato à reeleição como senador pela Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB), voltou a defender a redução da máquina estatal como forma de geração de empregos e crescimento econômico.

Segundo o tucano, o governo tem sido um “peso” na vida dos cidadãos com a alta carga tributária, que seria requerida para a manutenção de uma ineficiente “máquina estatal”.

Publicidade
ALPB

“O governo é um peso na vida do cidadão. São 13 milhões de desempregados e aqueles que estão trabalhando são obrigados e ‘entregar’ cinco meses do trabalho por ano em impostos para essa estrutura governamental ineficiente, que não consegue sequer cumprir sua parte em serviços básicos, como saúde, educação e segurança”, afirmou..

Tripé

Para Cássio, o próximo governo precisa despender esforços na criação de um tripé: equilíbrio fiscal, melhoria da competitividade da economia e investimento em educação de qualidade (começando com cuidados na primeira infância).

Juros

O senador exemplifica a inversão governamental de prioridades comparando o Orçamento Anual  da Saúde e da Educação e o valor pago para o pagamento de juros da dívida pública: “O orçamento anual para Saúde e Educação no Brasil soma R$ 220 bilhões por ano. Apenas de juros da dívida pública, o governo paga 380 bilhões de reais por ano” – afirma.

Impostos

“É evidente que essa conta não fecha e que o dinheiro não está sendo corretamente aplicado. Com o déficit público, o governo gasta 75% a mais do que com educação e saída. É preciso fazer a reforma tributária. Quem quebrou o Brasil foi o governo e não pode quer botar essa conta nas costas do trabalhador”.

Estrutura ultrapassada

Cássio  é categórico: “Eu não voto em um único aumento de imposto para ajudar o caixa de uma estrutura de governo carcomida, ultrapassada, ineficiente, corrupta e eivada de privilégios e mordomias. Entre o governo e o povo, eu fico com o povo” – garante o senador.

Comente

Camara Municipal

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected]