Sem receber salários há três meses no Botafogo-PB, zagueiro aciona clube na Justiça

    0

    A juíza Francisca Poliana Aristóteles Rocha de Sá, da 2ª Vara do Trabalho de João Pessoa, concedeu decisão favorável ao zagueiro Roberto Dias, que estava afastado do elenco do Botafogo-PB desde o dia 18 de maio. O atleta agora está livre para negociar com outro clube.

    Como disputou o primeiro jogo do Belo na Série C, no dia 17 de maio, contra o Salgueiro, em Campina Grande, Dias não pode mais jogar a terceira divisão.

    Segundo informações de bastidores, o ex-capitão do Bota-PB deve seguir para algum clube da Série B.

    A partida contra o Salgueiro, inclusive, foi a última do defensor com a camisa do time da Maravilha do Contorno, que perdeu por 2 a 1. Na oportunidade, Roberto Dias deixou o campo por opção do então técnico Marcelo Vilar ainda no primeiro tempo.

    Dois dias depois, após anunciar as dispensas do meia Bismarck e do atacante Potita, o Botafogo-PB comunicou que o zagueiro estava afastado do elenco principal, o que acabou motivando a ação de Dias na Justiça do Trabalho.

    Na decisão desta tarde, em caráter liminar, a juíza Francisca Poliana determinou que o Botafogo-PB entregasse imediatamente o atestado liberatório do atleta “para que possa dar prosseguimento à sua carreira”.

    O Belo tem cinco dias para rescindir o contrato de Roberto Dias, informando a decisão à Confederação Brasileira de Futebol. Em caso de descumprimento, a multa diária prevista pela magistrada é R$ 1.000,00.

    O gerente de futebol Giancarlos Dantas e o advogado Frederich Diniz representaram o Bota-PB na audiência. O advogado do atleta é Felipe Solano de Lima Melo.

    Conforme a decisão, postada na página eletrônica do Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba, o clube pessoense reconheceu que deve de três meses (abril, maio e junho) de salário ao jogador.

    Provocadas para uma conciliação, as partes não aceitaram o acordo. Os representantes do Botafogo-PB ofereceram R$ 12 mil a Roberto Dias, que não aceitou.

    Por sua vez, a juíza Francisca Poliana sugeriu o valor de R$ 32 mil para clube e jogador chegarem a um consenso, porém o autor da ação também preferiu não aceitar.

    Ainda na ação, a defesa do zagueiro pede uma indenização ao Bota-PB por danos morais. A alegação é de que o atleta teve sua imagem prejudicada por treinar em separado do elenco, consequentemente sendo exposto como culpado pelos resultados não alcançados pelo time dentro de campo.

    Outra audiência está marcada para o dia 15 de setembro.

    Do Voz da Torcida

    Comente

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    WhatsApp: (83) 99373-4023
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here