Paraibano bate recorde mundial e fatura ouro nas Paralimpíadas do Rio de Janeiro

1

Quem será capaz de parar Petrúcio Ferreira? Depois de correr a eliminatória dos 100m T47 em 10s67 e bater o recorde mundial da prova que já durava mais de duas décadas, o paraibano conquistou o ouro neste domingo (11) superando a própria marca. Com os 10s57 estabelecidos no Engenhão, Petrúcio, de apenas 19 anos, conquistou a sua primeira medalha de ouro em Paralimpíadas, com direito a dobradinha brasileira no pódio.

Dono de quatro medalhas nos Jogos Paralímpicos, o alagoano Yohansson Nascimento ficou com o bronze, com 10s79. A prata foi para o polonês Michal Derus, com os mesmos 10s79. As colocações de ambos foram definidas no photo finish, já que o tronco de Derus estava um pouco mais à frente.

“No momento em que eu estava no pódio escutando o hino nacional passou um filme na cabeça, de tudo o que eu suei nos treinos e dos dias em que cheguei em casa e mal conseguia tomar banho de tão cansado. Tudo o que vivi hoje é uma alegria que eu mal consigo explicar – disse Petrúcio, que chegou à zona mista acompanhado de Yohansson”, disse o paraibano.

“Estou muito feliz com essa medalha que é a minha quinta em Paralimpíadas, e quero muito ganhar a minha sexta amanhã com o Petrúcio, quando a gente corre o revezamento”, disse o alagoano, que completa 29 anos no próximo dia 25.

Petrúcio, que perdeu a mão esquerda num acidente com uma máquina de moer capim aos dois anos de idade, dominou a prova do início ao fim. A partir dos 50m finais, a distância do paraibano para Derus e Yohansson já era bastante visível. Após cruzar a linha de chegada, Yohansson, que é tricampeão mundial, fez questão de abraçar o compatriota, que no ano passado já conquistara o ouro nos 100 e 200m T47 dos Jogos Parapan-Americanos de Toronto.

Presente nas proximidades da tribuna de imprensa, o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Andrew Parsons, foi outro a vibrar efusivamente com o feito do jovem fundista. Foi das mãos do dirigente máximo do esporte paralímpico brasileiro que o paraibano recebeu a medalha minutos depois. Ao ouvir tocar o Hino Nacional Brasileiro no Engenhão, o jovem fundista não se conteve em lágrimas.

“O recorde foi mais uma alegria neste domingo. Treinei os meus últimos dois anos para esse momento e ano passado infelizmente fiquei de fora do Mundial. Chorei bastante naquele momento, mas coloquei na cabeça que esse era o ano da volta por cima. Além dessa medalha, levo de volta para a Paraíba a minha alegria e o carinho do público”, comentou Petrúcio.

O paraibano, que também é recordista mundial nos 200m, ainda corre mais duas provas na Rio 2016: o revezamento 4 x 100m rasos T42-47, nesta segunda (12), e os 400m T47, na sexta (16). A Paralimpíada do Rio é aprimeira grande competição de Petrúcio, já que uma lesão o impediu de largar nas três provas em que estava previsto para o Mundial de Doha 2015, pouco depois do Parapan de Toronto. As informações são do Globoesporte.

Comente

Camara Municipal

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

1 COMENTÁRIO

  1. Moro em Quixeramobim-Ce estou fazendo uma pesquisa sobre minha árvore genealógica e queria me aprofundar sobre a origem de meus parentes mais antigos. Encontrei vários dados na Internet que bate com as histórias de nossos avôs e bisavós. Então queria se se possível vcs me enviassem xerox do jornal número 82 do dia 09 de abril de 1927, ou outros fatos e histórias pertencentes a esta família SALDANHA.Desde já eu agradeço a gentileza. Boa noite!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here