Paraibano bate recorde mundial e fatura ouro nas Paralimpíadas do Rio de Janeiro

1

Quem será capaz de parar Petrúcio Ferreira? Depois de correr a eliminatória dos 100m T47 em 10s67 e bater o recorde mundial da prova que já durava mais de duas décadas, o paraibano conquistou o ouro neste domingo (11) superando a própria marca. Com os 10s57 estabelecidos no Engenhão, Petrúcio, de apenas 19 anos, conquistou a sua primeira medalha de ouro em Paralimpíadas, com direito a dobradinha brasileira no pódio.

Dono de quatro medalhas nos Jogos Paralímpicos, o alagoano Yohansson Nascimento ficou com o bronze, com 10s79. A prata foi para o polonês Michal Derus, com os mesmos 10s79. As colocações de ambos foram definidas no photo finish, já que o tronco de Derus estava um pouco mais à frente.

“No momento em que eu estava no pódio escutando o hino nacional passou um filme na cabeça, de tudo o que eu suei nos treinos e dos dias em que cheguei em casa e mal conseguia tomar banho de tão cansado. Tudo o que vivi hoje é uma alegria que eu mal consigo explicar – disse Petrúcio, que chegou à zona mista acompanhado de Yohansson”, disse o paraibano.

“Estou muito feliz com essa medalha que é a minha quinta em Paralimpíadas, e quero muito ganhar a minha sexta amanhã com o Petrúcio, quando a gente corre o revezamento”, disse o alagoano, que completa 29 anos no próximo dia 25.

Petrúcio, que perdeu a mão esquerda num acidente com uma máquina de moer capim aos dois anos de idade, dominou a prova do início ao fim. A partir dos 50m finais, a distância do paraibano para Derus e Yohansson já era bastante visível. Após cruzar a linha de chegada, Yohansson, que é tricampeão mundial, fez questão de abraçar o compatriota, que no ano passado já conquistara o ouro nos 100 e 200m T47 dos Jogos Parapan-Americanos de Toronto.

Presente nas proximidades da tribuna de imprensa, o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Andrew Parsons, foi outro a vibrar efusivamente com o feito do jovem fundista. Foi das mãos do dirigente máximo do esporte paralímpico brasileiro que o paraibano recebeu a medalha minutos depois. Ao ouvir tocar o Hino Nacional Brasileiro no Engenhão, o jovem fundista não se conteve em lágrimas.

“O recorde foi mais uma alegria neste domingo. Treinei os meus últimos dois anos para esse momento e ano passado infelizmente fiquei de fora do Mundial. Chorei bastante naquele momento, mas coloquei na cabeça que esse era o ano da volta por cima. Além dessa medalha, levo de volta para a Paraíba a minha alegria e o carinho do público”, comentou Petrúcio.

O paraibano, que também é recordista mundial nos 200m, ainda corre mais duas provas na Rio 2016: o revezamento 4 x 100m rasos T42-47, nesta segunda (12), e os 400m T47, na sexta (16). A Paralimpíada do Rio é aprimeira grande competição de Petrúcio, já que uma lesão o impediu de largar nas três provas em que estava previsto para o Mundial de Doha 2015, pouco depois do Parapan de Toronto. As informações são do Globoesporte.

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

1 COMENTÁRIO

  1. Moro em Quixeramobim-Ce estou fazendo uma pesquisa sobre minha árvore genealógica e queria me aprofundar sobre a origem de meus parentes mais antigos. Encontrei vários dados na Internet que bate com as histórias de nossos avôs e bisavós. Então queria se se possível vcs me enviassem xerox do jornal número 82 do dia 09 de abril de 1927, ou outros fatos e histórias pertencentes a esta família SALDANHA.Desde já eu agradeço a gentileza. Boa noite!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here