Itamar Schulle e Francisco Diá fazem duelo pessoal pelo terceiro ano consecutivo

0

São seis jogos entre Itamar Schulle e Francisco Diá de 2015 para cá. Repetidos confrontos entre treinadores são comuns em um país em que os profissionais vivem uma rotatividade muito grande, mas pelo tom decisivo dos encontros nos últimos anos, a rivalidade entre os dois se tornou especial.

Tudo começou na Série D do Campeonato Brasileiro de 2015. Nas oitavas de final, o duelo entre Operário, dirigido por Schulle, e Campinense, comandado por Diá, definiria quem ficaria a dois jogos do acesso para a terceira divisão. Depois de uma vitória do time paranaense por 1 a 0 na ida, no sul do país, a Raposa fez 1 a 0 na metade do primeiro tempo no Amigão, mas não conseguiu o placar que precisava para levar a vaga no tempo normal. Nos pênaltis, o arqueiro do Fantasma defendeu as cobranças de Filipe Ramon e Rodrigão. Itamar levou a melhor, mas acabou sendo eliminado pelo Remo-PA na fase seguinte.

O reencontro dos técnicos foi no Paraibano de 2016. Agora a frente do Botafogo-PB, Schulle empatou em Campina Grande com a Raposa, ainda de Diá, por 1 a 1. Depois, no Almeidão, o 0 a 0 em um jogo com quatro expulsões.

Nas finais do estadual do mesmo ano, o Clássico Emoção acirrou ainda mais os ânimos. Na primeira partida, em João Pessoa, o Campinense venceu por 3 a 2 o Botafogo-PB. Na ocasião o rubro-negro ainda estava invicto na temporada, mas a atuação da arbitragem, que anulou dois gols botafoguenses, revoltou o treinador do Belo, que chegou até a ironizar seu adversário.

– Este aí é o time imbatível, que o juiz precisou anular gol? Eu respeito eles, mas quem não nos respeita são eles. O Campinense não nos achou no primeiro tempo – disse na época.

No jogo de volta, no Amigão, o Belo conseguiu vencer por 1 a 0, mas o placar não resolveu. A Raposa ficou com o título, e quem riu desta vez foi Diá.

No próximo domingo (09), os dois comandantes com grande história no futebol paraibano travarão mais um duelo particular. Itamar Schulle segue no comando do Botafogo-PB, que vai enfrentar o Sampaio Corrêa-MA, que tem Francisco Diá como treinador. Ambos foram campeões estaduais em 2017, e vão criar mais um capítulo desta rivalidade pessoal, que está empatada, cada um com duas vitórias, dois empates, duas derrotas e com um triunfo em mata-mata.

A história de ambos ainda tem um capítulo mais antigo. Em 2010, Itamar Schulle foi demitido pelo Botafogo-PB no mês de junho. Seu substituto foi justamente Francisco Diá. As informações são do Voz da Torcida.

Comente

Camara Municipal

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
WhatsApp: (83) 99373-4023
E-mail: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here