Viva Usina terá show de As Calungas, performance e contação de história neste final de semana

O Viva Usina 2024 começa neste sábado, 2, com uma programação totalmente gratuita, que inclui música, performance artística e contação de história. O projeto é realizado na Usina Energisa e segue até julho. Para esta segunda edição, serão oferecidas 53 atrações artísticas, envolvendo mais de 600 profissionais da economia criativa.

A programação foi montada com os suplentes das diversas categorias do projeto, que foram selecionados pelo edital de ocupação em 2023. Para o primeiro final de semana, o projeto apresenta show com As Calungas, contação de história com Fabíola Ataíde e performance artística com Laíz de Oyá.

Sábado tem show

As Calungas se apresentam no sábado, 2, na Tenda da Música a partir das 20h. O show Tem Calunga Chamando”, que foi preparado para comemorar os dez anos de história do grupo, que se apresenta em cortejos e arrastos com o seu batuque formado exclusivamente por mulheres.

O repertório é resultado da pesquisa e experiência musical de suas integrantes, trazendo desde ritmos mais tradicionais da cultura brasileira e latina, como o cacuriá, o samba duro e a salsa, além de influências do cenário urbano, tais quais o funk e o samba-reggae. Além de composições próprias, o grupo interpreta também trabalhos de artistas paraibanos, sempre buscando ressignificar a importância do batuque feminino e incitar a alegria que só o empoderamento é capaz de trazer.

Domingo

A programação do domingo começa às 16h, com contação de história, no Palco Bonde. A atriz Fabíola Ataíde apresenta “Agreste” que narra a história de um casal de lavradores, que tinha uma vida pacata até o falecimento do marido. A atriz retrata uma história de amor impossível mas, sobretudo, incondicional, que resistiu à intolerância e ao preconceito de um povoado.

Às 18h, a atriz Laíz de Oyá apresenta a performance Encruzilhada Fêmea, também no Palco Bonde. O trabalho é fruto da vivência da artista com os segmentos da religião de matriz africana, especialmente com os cultos do Candomblé e da Jurema Sagrada.

Números positivos

Na primeira edição realizada em 2023, o Viva Usina ofereceu mais de 100 dias de programação cultural e gratuita, reunindo um público de mais de 26 mil pessoas na Usina Energisa. O edital recebeu 740 inscrições, 87 propostas foram selecionadas e foram gerados 982 empregos diretos.

O projeto Viva Usina é realizado através da Lei de Incentivo à Cultura, com produção da Atua Comunicação Criativa, o apoio do Instituto Energisa, patrocínio master da Energisa, patrocínio do Banco do Nordeste e realização do Ministério da Cultura e Governo Federal – União e Reconstrução.