(Foto: Reprodução)

A Operação Fake Loan do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público (MPPB), com a Polícia Federal e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) contra a Prefeitura de Curral de Cima e o prefeito Totó Ribeiro cumpriu mandados de busca e apreensão em três endereços. O Paraíba Já teve acesso a vídeos que mostram ações da incursão deflagrada na manhã desta segunda-feira (18).

Segundo o MPPB, há indícios de que os empréstimos, em sua maioria, eram destinados aos próprios agentes públicos investigados. Até o momento, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão.

De acordo com fontes ao Paraíba Já, os investigados são além do prefeito Arnaldo Ribeiro Sobrinho, conhecido por Totó Ribeiro, a secretária de Finanças e primeira-dama Maria da Conceição Aguiar, conhecida como Tequinha, e o secretário de Controle Interno, Paulo Queiroz. Tequinha é esposa de Totó, portanto dividem o mesmo endereço.

Alvos dos mandados

  • Três mandados de busca e apreensão: cumpridos em endereços relacionados a dois investigados e na Prefeitura Municipal de Curral de Cima.
  • Locais: Gabinete do Prefeito, Secretaria de Controle Interno, Secretaria de Administração e Secretaria de Finanças.

O Paraíba Já trouxe reportagens apontando como operaria o possível esquema: manipulação de contracheques dos servidores, com a adição de valores fictícios para aumentar artificialmente a margem consignável, além da concessão de gratificações em valores compatíveis às parcelas dos empréstimos, que, ao final, eram custeadas pela própria Prefeitura.

Após reportagem do Paraíba Já, o TCE acatou denúncia sobre o possível esquema nos empréstimos praticados na Prefeitura de Curral de Cima. Ação da Corte acontece exatamente um dia após publicação.

Modus operandi

  • Manipulação de contracheques: valores fictícios eram inseridos para aumentar artificialmente a margem consignável dos servidores.
  • Concessão de gratificações: valores compatíveis com as parcelas dos empréstimos eram custeados pela própria Prefeitura.

A ação conta com uma atuação conjunta de 20 integrantes do Ministério Público da Paraíba (CCRIMP e do Gaeco-PB), juntos a 20 policiais militares e 4 auditores de Controle Externo do TCE/PB, totalizando 44 agentes públicos.