Vice-presidente do CRM-PB denuncia precarização do Samu em Campina Grande

A denúncia de funcionários que operam o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Campina Grande nesta semana chegou ao conhecimento do Conselho Regional de Medicina (CRM) da Paraíba. Segundo a entidade que fiscaliza e normatiza a prática médica no Estado, as ambulâncias estariam com problemas em equipamentos, o que estaria tornando o trabalho dos médicos mais difícil.

“Alguns equipamentos relacionados com ventilação dos pacientes estão ainda funcionando, mas em situação precária. Com isso, o atendimento prestado pelos profissionais fica mais complicado”, explicou o vice-presidente do CRM-PB, Antonio Henriques.

Publicidade
ALPB

A fiscalização do Conselho foi realizada após denúncia feita pelos próprios médicos que utilizam os equipamentos. O Samu terá que apresentar novos equipamentos até o início do mês de dezembro.

“Eles repassaram notas fiscais, demonstrando que os equipamentos foram comprados há duas semanas. Com isso, ficou determinado que tudo precisa estar instalado em um mês ou estarão sujeitos a Interdição médica do serviço”, acrescentou Antônio Henriques. A medida tem o objetivo de garantir o atendimento médico de qualidade à população e a segurança do ato médico.

Comente

Camara Municipal

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected]