Vereador propõe audiência pública para tratar caso dos ambulantes

Vereador diz que gastos excessivos de Cartaxo revelam uso eleitoral da máquina em JP

Na semana passada, a PMJP retirou, sem aviso prévio, durante a madrugada, as carrocinhas usadas pelos trabalhadores informais que comercializam no centro da cidade

Os trabalhadores informais da cidade de João Pessoa voltaram à Câmara Municipal na manhã desta terça-feira (30), véspera do Dia do Trabalho. Semana passada, eles estiveram na CMJP, participaram de reunião com um grupo de vereadores e o com o presidente da Casa que se comprometeram em estabelecer um diálogo com a Gestão Municipal.

“Essa reunião foi há cerca de uma semana, e a Gestão Municipal deu o calado como resposta, não recebeu os trabalhadores, tampouco apontou alternativas. É uma pena que, na véspera do Dia do Trabalho, estejamos vivenciando uma situação de impedimento para que homens e mulheres trabalhem na cidade de João Pessoa”, lamenta o vereador Bruno Farias.

Em decorrência deste silêncio por parte da prefeitura, Bruno Farias propôs que se faça uma Audiência Pública para discutir a questão dos trabalhadores informais e a ocupação do espaço público de João Pessoa. “Que é preciso organizar o passeio público, a ocupação dos espaços públicos em nossa cidade, ninguém contesta. Agora, ao tempo em que se organiza, que se enfrenta o problema, é preciso apresentar alternativas, por isso vamos apresentar um pedido de Audiência Pública”, disse Bruno.

Vários ex prefeitos fizeram ações em favor do comércio informal da cidade de João Pessoa, como o antigo Shopping Durval Ferreira, o Shopping Popular 4400, o Centro Comercial de Passagem e o Shopping do Varadouro.

Entretanto, segundo Bruno, o prefeito Luciano Cartaxo fechou os olhos para a situação dos ambulantes durante os 6 anos e meio de sua gestão e ainda deixou que a ocupação irregular do espaço urbano ocorresse de maneira desordenada, e, numa ação absolutamente esdruxula, retirou os informais das ruas durante a madrugada sem oferecer solução.

“Retirar essas pessoas das ruas sem oferecer uma alternativa é crueldade, é desumanidade, e o que essas pessoas querem é serem ouvidas. Por isso, a Bancada de Oposição vai promover uma Audiência Pública para que o secretário de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Zennedy Bezerra, receba, pela força da Câmara Municipal, esses trabalhadores e dialogue apontando soluções”, afirma.

Comente