Vereador de JP aponta falhas no projeto de contenção da Barreira do Cabo Branco

Vereador comemora início da drenagem da Barreira do Cabo Branco
CPI
Lucas defende ampliação do debate sobre a obra

O projeto apresentado pela Prefeitura de João Pessoa para a contenção e conservação da Barreira do Cabo Branco vem sendo questionado por especialistas por apresentar falhas técnicas e não ter transparência na divulgações de informações relacionadas ao licenciamento. Nesta terça-feira (18), o vereador Lucas de Brito (PSL) levou o tema para a tribuna da Câmara Municipal e destacou que o poder executivo precisa rever a estratégia que vem sendo anunciada pela gestão.

Lucas destacou o apelo feito pela Associação dos Amigos da Barreira do Cabo Branco (AMBCB) que procurou os órgãos de controle, como o Ministério Público da Paraíba, para denunciar a proposta de intervenção da PMJP. “As intervenções a serem realizadas naquela área precisam ser muito bem pensadas e avaliadas, só que, até agora, elas têm sido pouco discutidas e estão equivocadas”.

De acordo com o parlamentar, a proposta vai custa R$ 82 milhões aos cofres públicos municipais e consiste na construção de oito quebra-mares paralelos à costa, com extensão total de 2.600 metros. “Esse projeto foi apresentado unilateralmente pela Prefeitura Municipal sem a discussão com a sociedade civil organizada. Não houve a possibilidade de debate sobre os pontos do projeto”, ressaltou.

Ele ainda destacou que o projeto deveria ter sido antecedido dos estudos prévios de impacto ambiental (EIA) e do relatório de impacto ambiental (RIMA), mas o projeto executivo ficou pronto antes desses estudos. “Só agora está aberto processo licitatório para fazer o EIA/RIMA. Isso é um equívoco muito grande. Os especialista apontam isso, mas a Prefeitura não tem o cuidado de ouvir a cidade de João Pessoa”.

Comente