Vereador afirma que abriu mão dos salários, mas valores foram pagos pela CMJP

De acordo com a assessoria, a abdicação do parlamentar gerou economia de R$ 2 milhões ao Legislativo Municipal

O vereador João Almeida (SD) divulgou, por meio de assessoria de imprensa, que abre mão dos salários da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) desde 2007, destacando uma economia de R$ 2 milhões aos cofres públicos. De acordo com uma consulta feita pelo blog do Suetoni Souto Maior, a informação não é, de fato, verdadeira.

O Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade (Sagres) do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) mostra que o parlamentar não recebeu os salários de R$ 15 mil apenas em alguns momentos. Os valores foram recebidos integralmente por João Almeida, reeleito em 2012, entre fevereiro de 2013 e janeiro de 2017. Além disso, o vereador, que foi novamente reeleito, também teve o dinheiro creditado em sua conta durante todos os meses, até maio do ano passado.

João Almeida é policial rodoviário federal e não há ilegalidades relacionadas ao recebimento dos dois salários, caso ele consiga cumprir os horários estabelecidos em cada emprego. O parlamentar também pode escolher a maior remuneração e onde cumpre o expediente.

Ele optou pelos salários de policial rodoviário federal a partir de junho do ano passado e não está recebendo valores da Câmara, onde escolheu dar expediente. De acordo com a assessoria, a abdicação do vereador gerou uma economia de R$ 2 milhões ao Legislativo Municipal, mas os dados da ferramenta Sagres apresentam valores menores.

Comente