O deputado estadual Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), de acordo com informações reveladas pelo pela jornalista Andreza Matais, do Estadão, deverá ser punido pelo presidente Michel Temer (PMDB) por sua infidelidade. Quem irá sofrer as consequências disso será o diretor de inteligência competitiva e promoção turística da Embratur, Gilson Lira, que provavelmente deverá ser exonerado.

A exoneração do indicado por Veneziano seria uma resposta ao voto contrário a Temer na votação, na Câmara dos Deputados, na votação que autorizaria o Supremo Tribunal Federal (STF) a abrir processo contra o presidente. Caso seja confirmada, esta será a segunda punição contra o deputado federal.

Veneziano foi punido pelo partido dele na votação da primeira denúncia da Procuradoria Geral da República contra o presidente. Na primeira denúncia, por corrupção passiva, ele também votou, em 2 de agosto, para que Temer fosse investigado. Ele teve as funções partidárias suspensas por 60 dias, contados a partir de 10 de agosto. O ofício com a determinação foi enviado pelo dirigente nacional da sigla, senador Romero Jucá, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com a assessoria do partido, a suspensão é o primeiro passo do processo disciplinar ao qual os deputados “infiéis” serão submetidos. O partido ficou, inclusive, de submeter o Veneziano à Comissão de Ética do PMDB. Uma piada, lógico.

Wellington

Além de Veneziano, outro “governista” já foi punido por Michel Temer. No caso dele, o alvo da punição foi Gustavo Adolfo Andrade de Sá. Ele integrava a da diretoria de Administração e Finanças do Dnit. O pedido de punição partiu do ministro dos Transportes, Maurício Quintella (PR). Com informações do blog do Suetoni.

Comente