Valberto Lira dá canetada e prejudica festa da torcida na apresentação de Léo Moura em jogo do Nordestão

O promotor Valberto Lira, coordenador da Comissão Permanente de Prevenção e Combate à Violência nos Estádios do Estado da Paraíba, decidiu que as torcidas organizadas na Paraíba não podem mais entrar nos estádios com instrumentos musicais. Neste sábado (1), na apresentação de Léo Moura no jogo entre Botafogo e Confiança, pela Copa do Nordeste, as torcidas só poderão fazer barulho com o uso dos pulmões.

Valberto enviou já à Polícia Militar o ofício determinando a proibição de instrumentos musicais, permitindo apenas a entrada de faixas. Os cânticos, puxados pelas baterias, acontecerão sem o acompanhamento da parte rítmica.

Ayrton Omena, um dos advogados da torcida Império Alvinegro, crê que a proibição é uma retaliação do promotor pela demora da atualização do cadastramento dos membros das torcidas.

“A nossa torcida fez o cadastro em julho. Eles argumentaram que a gente tinha novembro e dezembro para atualizar. Número um: o estatuto do torcedor não prevê prazo para essa ficha de cadastro ser atualizada. Ela tem que ser atualizada se houver alguma mudança, claro, mas ele diz que firmou um termo com outras torcidas, o que exige que o recadastramento seja anual. A gente fez em julho. Ele quer cobrar no início da temporada? Beleza, mas a gente precisa ser intimado disso. É uma exigência estapafúrdia. E outra: essa exigência não prevê nenhuma sanção”, afirmou.

O advogado sustenta, ainda, que o atualização das fichas dos membros foi enviada na segunda-feira (1) e que o promotor garantiu que iria permitir a entrada dos instrumentos. Porém, a semana passou, e Valberto não retornou mais contato, enviando nessa sexta-feira (31) o ofício à PM.

Confira:

 

Comente