Unimed-JP pressiona hospitais credenciados a assinar termo para ‘se livrar’ de tratar pacientes com Covid-19

Conforme o termo a que estão sendo submetidos os médicos conveniados, o paciente então ficará sem o direito de se tratar no Hospital Alberto Urquiza Wanderley

Covid-19: cresce 32% número de atendimentos na Unimed-JP, alerta CRM-PB
Foto: Ilustração

A Unimed João Pessoa está pressionando os hospitais credenciados a assinarem um termo para assumirem a responsabilidade integral e exclusiva de pacientes que sejam infectados por Covid-19. Com isso, a empresa não quer arcar nem tratar os infectados que pagam seus planos de saúde.

Conforme o termo a que estão sendo submetidos os médicos conveniados, o paciente então ficará sem o direito de se tratar no Hospital Alberto Urquiza Wanderley, da própria Unimed, que é referência no tratamento da Covid-19 na rede privada.

Inclusive, de acordo com informações de fontes que preferiram não se identificar, a própria Unimed-JP já fez o termo, obrigando os credenciados apenas a assinar. Ou assinam, ou serão descredenciados.

Veja termo

(Foto: Reprodução)

Liberação

O termo versa sobre pacientes que realizarem cirurgias eletivas, que foram liberadas pela própria Unimed no dia 21 de maio, junto aos médicos conveniados. A empresa liberou, mas mesmo assim não quer arcar com possível tratamento de Covid-19.

“Escalonar, a partir desta data, o agendamento das cirurgias eletivas, na rede própria e credenciada”, diz parte do documento de liberação, que é assinado por nove médicos, entre eles Gualter Ramalho, presidente do Conselho de Administração (Conad) da Unimed João Pessoa.

“O descumprimento do presente Termo, qualificado como título executivo extrajudicial para todos os fins de direito, constitui infração ao contrato de credenciamento celebrado com a Unimed João Pessoa, autorizando a sua rescisão, sem prejuízo do integral ressarcimento das perdas e danos experimentados pela Unimed João Pessoa”, diz trecho final do termo.

Confira documento