Turismo: Carlos Monteiro defende transversalidade para desenvolvimento produtivo

Candidato do Rede Sustentabilidade também pretende criar espaços de relacionamento com os diversos setores da sociedade para escutar as vozes da periferia

Neste domingo (25), o candidato a prefeito pela Rede Sustentabilidade, Carlos Monteiro, estará pela manhã, a partir das 9h, no bairro do Bessa, para uma roda de diálogo sobre turismo e empreendedorismo sustentável, com apoiadores. Das 12h às 14h, realizará bandeiraço, em frente ao restaurante Fullanos Praia. Por fim, já às 16h, grava conteúdo audiovisual para as redes sociais.

Com aproximação do dia da eleição, o candidato da Rede Sustentabilidade, Carlos Monteiro, passa a destacar dados na área do turismo nas suas três vertentes (religioso, ecológico e histórico-arquitetônico). De acordo com o político em uma roda de diálogo, a Rede considera a diversidade e a criatividade como vetores do turismo sustentável na geração de emprego e renda. Fator estratégico para o desenvolvimento sustentável, o arranjo produtivo do turismo agregará ações de mobilidade urbana, o fomento do artesanato e da cultura popular e o incentivo aos empreendimentos de base local.

“O turismo deve ser pensado de forma transversal e precisa ser incluído em projetos de diversas secretarias. Tanto no turismo de lazer, religioso quanto o de negócios, deverão ser idealizados novas rotas e mapeado novos equipamentos. Para além das potencialidades das comunidades, vamos intensificar experiências bem sucedidas como o caso da gastronomia, do turismo de sol e mar e dos produtos de comerciantes locais para, assim, gerar mercado. Atrelado a isso tudo, vou dar destaque as ferramentas digitais com a elaboração do Guia Turístico Digital de João Pessoa com divulgação das informações de museus, praças, shows públicos, exposições e bibliotecas, em aplicativo”, afirmou.

Além disso, o candidato apresenta seu mandato de forma democrática e pretende criar espaços de relacionamento com os diversos setores da sociedade para escutar as vozes da periferia.