TSE adia julgamento do recurso que pede a inelegibilidade de Ricardo Coutinho

Ação foi movida pela Coligação A Vontade do Povo, encabeçada pelo então senador e candidato a governador, Cássio Cunha Lima (PSDB)

O julgamento da ação que pede a inelegibilidade do ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, foi adiado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na tarde da terça-feira (18), após pedido do ministro Og Fernandes. De acordo com o ministro, o adiamento foi motivado pelo horário.

O presidente do TSE, Roberto Barroso, ainda não divulgou a nova data para o julgamento. Barroso chegou a comentar sobre pedido de vista, mas o nome do magistrado não foi divulgado.

De acordo com a ação, o ex-governador é acusado de conduta vedada e abuso de poder político, devido à exoneração de servidores no pleito eleitoral para contratação de outras pessoas. A ação foi movida pela Coligação A Vontade do Povo, encabeçada pelo então senador e candidato a governador, Cássio Cunha Lima (PSDB).

A defesa de Ricardo Coutinho justificou as contratações, afirmando que as as exonerações foram necessárias para realizar a contratação de servidores para atender a saúde pública na época. Além disso, também foi solicitado à corte a anulação da multa de R$ 30 mil imposta pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB).

Comente