- Publicidade -
Cotidiano

TRT efetiva extinção de quatro Varas prejudicando centenas de milhares de paraibanos

Varas de Itabaiana, Mamanguape, Picuí e Cajazeiras simplesmente não existem mais; elas foram incorporadas a outras

O Tribunal do Trabalho da Paraíba (13ª Região) aprovou, por unanimidade, a transferência de quatro Varas do Trabalho para os municípios de João Pessoa, Campina Grande e Santa Rita. A sessão administrativa foi presidida pelo desembargador Wolney de Macedo Cordeiro. Somando a população das cidades afetadas e suas vizinhas, centenas de milhares de pessoas serão afetadas negativamente.

- Continua depois da publicidade -

Com a aprovação do Tribunal Pleno, as Varas do Trabalho de Itabaiana e Mamanguape serão transferidas para João Pessoa. As unidades passam a ser denominadas, respectivamente, de 12ª e 13ª Varas do Trabalho de João Pessoa, integrando a estrutura do Fórum Maximiano Figueiredo.

A Vara do Trabalho de Picuí foi transferida para a cidade de Santa Rita, passando a ser denominada de 2ª Vara do Trabalho de Santa Rita, integrando a estrutura do Fórum José Carlos Arcoverde Nóbrega.

Já a Vara do Trabalho de Cajazeiras foi transferida para a cidade de Campina Grande, passando a ser denominada de 7ª Vara do Trabalho, integrando a estrutura do Fórum Irineu Joffily.

Na sessão administrativa que aprovou as transferências, se manifestaram o prefeito de Cajazeiras, José Aldemir Meireles, o deputado estadual Jeová Campos, advogados e lideranças do município, que pediram a manutenção da unidade.

O juiz Marcelo Carniato, presidente da Associação dos Magistrados da Paraíba (Amatra13), considerando a situação vivenciada pelo Tribunal do Trabalho, se pronunciou favorável à medida, ressaltando a existência de mecanismos e ferramentas que amenizam os impactos para a sociedade, entre eles posto avançado, audiências volantes e sistema de videoconferência.

Comente

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar