Publicidade
Brasil

Tio de um dos assassinos de escola chora e pede perdão às famílias das vítimas

Tio de um dos assassinos de escola chora e pede perdão às famílias das vítimasO tio de Luiz Henrique de Castro, um dos autores do ataque na escola de Suzano, afirmou nesta quinta-feira (14), após o enterro do sobrinho, que gostaria de pedir perdão às famílias das vítimas.

- Continua depois da publicidade -

“Quero pedir perdão público para os pais daquelas crianças. Eu não sei o que aconteceu com o menino. Em nome da família Castro eu peço perdão. Nós também somos vítimas”, afirmou Américo Castro (foto), de 69 anos.

Luiz foi sepultado por volta de 12h30 no cemitério municipal São Sebastião, após uma breve cerimônia na capela, que durou menos de 10 minutos, e contou com a presença de cerca de 20 pessoas.

Segundo Américo, a mãe de Luiz está muito abalada e não conseguiu participar do enterro. “Não fizemos um velório em respeito às famílias das outras vítimas. A gente respeita a dor dos pais e mães daquelas famílias e é por isso que estou dando esse depoimento. Meu irmão e minha cunhada estão sem condições de falar”, afirmou.

O tio afirma que a família não percebeu nenhum comportamento diferente do jovem. “Era um menino normal, comum. Nós da família estamos muito chocados. Esse não era o Luiz que a gente conhecia.”

Não houve velório. O corpo foi sepultado rapidamente com a presença de poucas pessoas. O enterro foi feito pela Prefeitura de Suzano.

O corpo do outro assassino, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, foi enterrado nesta tarde no Cemitério São João Batista. A mãe de Guilherme foi ao enterro, que teve ao todo seis pessoas e foi acompanhado por policias militares e guardas civis.

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected] | WhatsApp: (83) 98176 - 1651

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar