Socialista rebate críticas de Cartaxo a Ricardo com ironia: “ninguém aguenta mais é tanta lentidão”
Leo Bezerra: “Enquanto nossa gestão é ágil e eficiente, a de Cartaxo é lenta e inoperante”

O vereador Leo Bezerra (PSB), líder da bancada de oposição na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), rebateu com ironia às críticas do prefeito Luciano Cartaxo (PV) ao modelo de gestão implantando na Paraíba pelo governador Ricardo Coutinho (PSB).

Em entrevista à Rádio Arapuan nesta segunda-feira (25), Cartaxo ‘alfinetou o governador Ricardo Coutinho, ao afirmar que “ninguém aguenta mais oito anos de mau humor”.  O prefeito da Capital ressaltou ainda ele que implantou em João Pessoa um modelo novo de fazer política.

“O prefeito Cartaxo só pode tá de brincadeira. O que ninguém aguenta mais é tanta a lentidão. Ninguém aguenta mais ver as poucas obras tocadas pela prefeitura demorarem tanto tempo para serem concluídas. Tenho certeza absoluta que entre o modelo de gestão de Ricardo e o do prefeito, a população prefere a de Ricardo”, declarou o vereador socialista.

“Enquanto o governo de Ricardo construiu o Trevo das Mangabeiras e o Viaduto do Geisel, a gestão de Cartaxo se arrasta há anos para fazer a passagem molhada da Beira Rio. São obras que nem se comparam em termos de complexidade e relevância. Então, quem mora aqui em João Pessoa sabe muito bem diferenciar os dois modelos de gestão. Enquanto nossa gestão é ágil e eficiente, a de Cartaxo é lenta e inoperante”, completou Leo Bezerra.

O vereador ressaltou, ainda, que só nesta segunda-feira o governador Ricardo Coutinho anunciou um calendário de inauguração de obras que juntas totalizam um investimento de mais de R$ 350 milhões. “Enquanto Cartaxo fala, Ricardo entrega obras. Mesmo estando praticamente no final de seu mandato, hoje o governador anunciou a entrega de mais 70 obras, com destaque para a Perimetral Sul, em João Pessoa; as escolas técnicas estaduais de Campina Grande, Serra Branca e Patos; a Urbanização da Orla de Jacumã, no Conde; o IPC (Instituto de Polícia Científica ) de Cajazeiras; e o Hospital de Oncologia do Sertão, em Patos. Essa é a diferença”, concluiu.

Comente