Sobreviventes de coronavírus estão sob risco de ‘estresse pós-traumático’, dizem médicos

No Brasil, Fiocruz estima que, neste ano, mais de 300 mil pessoas foram hospitalizadas por causa de doenças respiratórias graves

Médicos alertam que os pacientes que estiveram em hospitais em situação grave devido ao coronavírus precisam ser examinadas com urgência quanto a transtorno de estresse pós-traumático.

Um grupo de especialistas em traumas gerados pela covid-19 (Covid Trauma Response Working Group), liderado pela University College London e envolvendo especialistas da Inglaterra, disse que aqueles que estiveram em terapia intensiva correm maior risco.

Especialistas disseram que é necessário fazer exames regulares, os chamados check ups, durante pelo menos um ano.

O grupo de trabalho destacou uma pesquisa que mostra que 30% dos pacientes que tiveram doenças graves durante surtos de doenças infecciosas no passado desenvolveram transtorno de estresse pós-traumático. Problemas de depressão e ansiedade também eram comuns, segundo a pesquisa.

No Brasil, a Fiocruz estima que neste ano mais de 300 mil pessoas foram hospitalizadas por causa de doenças respiratórias graves.

‘Era como estar no inferno’

No Reino Unido, Tracy é uma das muitas pessoas que ficaram com cicatrizes psicológicas de sua experiência com o coronavírus. Ela foi internada em março no Hospital Whittington, em Londres, e passou mais de três semanas lá, sendo uma delas em terapia intensiva.

“Era como estar no inferno. Vi pessoas morrendo, pessoas com a vida sendo sugadas. Todos os funcionários usam máscaras e tudo que você vê eram os olhos. Era muito solitário e assustador.”

Desde que recebeu alta em abril, a mulher de 59 anos está enfrentando dificuldade para dormir por causa do pensamento de que vai morrer. E também relata ter flashbacks, ou seja, recordar sensações do passado.

Ela agora está recebendo ajuda psicológica. “Tem sido muito difícil. Fisicamente, estou muito cansada. Estou começando a me recuperar, mas o lado mental é muito difícil de lidar.”

“Eu tenho uma boa rede de apoio de familiares e amigos e sou uma pessoa positiva – e estou lutando. Acho que deve ter muita gente em uma situação semelhante, se não pior.”

Apoio aos pacientes

Michael Bloomfield, que é psiquiatra da University College London e faz parte do grupo de trabalho que estuda os traumas gerados pela covid-19, disse que os pacientes hospitalizados enfrentam uma experiência “muito assustadora e invasiva” e, juntamente com as complicações a longo prazo, estão em risco de enfrentar dificuldades na saúde mental relacionadas ao estresse.

Bloomfield disse que a característica única da pandemia, que deixa os pacientes isolados da família enquanto estão no hospital, também pode agravar os problemas.

“Precisamos garantir o apoio a esses pacientes. Se você não oferecer esses serviços de forma consistente, poderá ter consequências no longo prazo.”

Da BBC

Comente