Sindicato pede à UFPB volta ao home office após aumento de casos da Covid-19

A Diretoria Provisória do Sindicato Dos Trabalhadores em Ensino Superior do Estado da Paraíba (Sintespb), através de sua Coordenação Geral, composta por Clodoaldo Gomes, Ednaldo Alves e Rachel Melo, solicitou por meio de ofício à Reitoria da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), a imediata volta ao trabalho remoto de todos os servidores técnico-administrativos, em decorrência do aumento significativo de casos de síndromes gripais (Covid-19 e H3N2), notadamente entre os Técnicos Administrativos em Educação (TAEs) da instituição.

De acordo com a diretoria do Sintespb, a preocupação é no sentido de evitar a exposição dos técnico-administrativos aos vírus que estão circulando em todo o Estado, que vêm elevando o número de pacientes infectados, de internações hospitalares e também de mortes, inclusive em crianças.

No ofício protocolado junto à Reitoria, a Coordenação Geral do Sintespb justifica o retorno ao trabalho remoto baseada nos pressupostos da Comissão de Biossegurança, criada em 2020, que recomendava ações que possibilitassem um retorno gradual e seguro às atividades institucionais presenciais quando as condições epidemiológicas permitissem, o que não correspondem mais à realidade atual, uma vez que todos os indicadores demonstram que a pandemia se encontra em momento de aceleramento.

O Sintespb está solicitando ainda da Administração Central da UFPB os dados oficiais de números de testes realizados pela instituição, com percentual dos resultados positivos, levantamentos de número de servidores afastados do trabalho por mês, discriminando a unidade ou setores da UFPB.

A diretoria do Sintespb afirmou que aguarda que os pleitos solicitados sejam atendidos o mais rápido possível dada a situação de emergência que a conjuntura sanitária exige, mas caso a reivindicação não seja atendida, o Sintespb foi autorizado pela Assembleia Geral e estará acionando a Justiça para garantir o direito à vida da categoria técnico-administrativa.