Sessão na Câmara termina com confusão após Moro ser chamado de ‘juiz ladrão’

O clima na sessão na Câmara, em que o ex-ministro Segio Moro falou sobre a divulgação de diálogos atribuídos a ele e a procuradores da Lava-Jato, piorou de vez por volta das 21h30 desta terça-feira, após o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) chamar Moro de “juiz ladrão e corrompido”. O deputado Eder Mauro (PSD-PA) partiu para cima. Com dedos em riste, eles ficaram muito próximos de uma brigarem. A confusão se espalhou e um grande bate-boca tomou conta da sessão. Em seguida, Moro deixou a sala sob os gritos de “fujão”. Houve uma tentativa de retomar a audiência, que não teve resultado, e ela foi encerrada por volta das 21h50.

“O senhor vai estar sim nos livros de história como um juiz que se corrompeu, como um juiz ladrão. A população brasileira não vai aceitar como fato consumido um juiz ladrão e corrompido que ganhou uma recompensa por fazer com que a democracia brasileira fosse atingida. É o que o senhor é: um juiz que se corrompeu”, disse Glauber Braga, antes de a confusão começar.Após o fim da sessão, Moro contra-atacou.

“Um deputado absolutamente despreparado, que não guarda o decoro parlamentar. Fez uma agressão, ofensas. São inaceitáveis. Infelizmente teve que encerrar a sessão. A culpa é desse deputado totalmente despreparado. Glauber, acho. Glauber alguma coisa. Sabe Deus de onde veio isso aí”, disse Moro.

Também depois da sessão, o líder do PT, Paulo Pimenta (RS), disse que vai tentar a convocação do ministro. Para isso, será preciso apresentar um requerimento na comissão e aprová-lo.Enquanto a reunião durou, 59 deputados fizeram perguntas a Moro. Deles, 38 criticaram Moro, 19 se colocaram do seu lado, e dois ficaram neutros.

Ao fim da sessão, o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), reclamou da oposição, disse que a sessão se transformou num “circo” e arrematou:

“Não vai ter Moro na CCJ nunca mais. Sem chance”. Com informações de O Globo.

Comente