Semana Mulheres em Resistência começa na próxima segunda-feira; veja programação

Cerca de 40 professoras, pesquisadoras, representantes dos movimentos feministas, sociais, sindicais e políticos da Paraíba integram a programação da 1ª Semana Mulheres em Resistência, que será realizada pela ADUFPB de 9 a 12 de março em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. No total, estão previstas 11 atividades, entre palestras e mesas-redondas, que irão culminar com uma roda de conversas e a divulgação da Carta das Mulheres em Resistência da Paraíba.

O evento, organizado pela ADUFPB com a participação do Sintespb (Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior da Paraíba) e do DCE-UFPB (Diretório Central dos Estudantes), faz parte da Jornada 8 de Março, idealizada pelos movimentos de mulheres da Paraíba. “Atualmente, são cerca de 75 movimentos de mulheres construindo a Jornada 8 de Março”, explica a diretora Cultural da ADUFPB, Sandra Luna.

A principal atividade da Jornada ocorrerá no próprio dia 8 de março, domingo. Trata-se de um festival político-cultural que levará ao Busto de Tamandaré, em João Pessoa, apresentações artísticas e musicais, feira de artesanatos e atos políticos. A programação está prevista para começar às 15h. Além do festival, as diversas entidades que integram a organização do evento também elaboraram suas próprias agendas de atividades, construindo a Jornada 8 de Março, que irá se prolongar ao longo do mês.

“Como parte integrante dessa Jornada, a ADUFPB está realizando a Semana Mulheres em Resistência, que vai ter a colaboração do Sintespb e do DCE”, explica Sandra Luna. Ela destaca que o fortalecimento dos movimentos de mulheres foi um compromisso de campanha da atual gestão da ADUFPB. “Algumas de nós, que vêm atuando ou atuaram em movimentos feministas aqui na própria universidade, decidimos que iríamos assumir esse compromisso!”, afirma.

A participação ativa na construção da Jornada 8 de Março foi um dos primeiros passos nesse caminho. Para definir o formato da Semana Mulheres em Resistência, as diretoras da ADUFPB que integram a organização do movimento avaliaram a importância de destacar aquilo que une todas elas: o fato de serem educadoras. Desta forma, a programação possui “um certo caráter acadêmico”, com mesas redondas e palestras, segundo explica Sandra Luna.

“Mas a gente também tem consciência de que estamos em um sindicato e não somente na academia. Então resolvemos congregar professoras pesquisadoras dos temas das mulheres e militantes dos movimentos de mulheres, dos movimentos sociais e dos movimentos sindicais, além de representações da política”, explica a diretora Cultural da ADUFPB.

Temas dos debates

Nos quatro dias do evento, cerca de 40 mulheres irão abordar diversos temas relacionados às principais pautas do movimento feminista no Estado. “Teremos, por exemplo, mesas sobre diversidade e direitos humanos, educação e políticas públicas, violência e feminicídio, arte e cultura”, destaca Sandra Luna.

Outro ponto importante: os eventos ocorrerão não apenas em João Pessoa, como também nos campi do interior (Areia, Bananeiras e Litoral Norte). “A gente resolveu fazer atividades descentralizadas. A comissão organizadora tentou trabalhar de maneira mais horizontal, delegando aos representantes dos demais campi a decisão de que temas eles iriam abordar em seus espaços e respeitando os perfis e peculiaridades de cada local. No Litoral Norte teremos debates sobre questões étnico-raciais, por exemplo. Areia vai falar do movimento de mulheres do campo”, explica.

A Semana Mulheres em Resistência encerra-se no dia 12 de março com um grande evento no Centro de Vivência do campus I. As atividades finais ocorrerão à tarde, a partir das 14h30. O primeiro evento será uma roda de conversa com representantes de movimentos de mulheres. Na sequência, haverá o lançamento da Carta das Mulheres em Resistência da Paraíba.

Veja a programação completa: http://www.adufpb.org.br/site/semana-mulheres-em-resistencia-comeca-na-proxima-segunda-feira-9/

Comente