Secretário de Saúde nega ‘alerta ligado’ por casos em PE e destaca prevenção contra Coronavírus

O secretário de Saúde do Estado da Paraíba, Geraldo Medeiros comentou sobre o avanço do Covid-19 (coronavírus) no Brasil e Nordeste. O Estado de Pernambuco confirmou os dois primeiros casos da doença ontem (12).

De acordo com ele, a prevenção continua sendo de extrema importância. O secretário ainda destacou que os idosos acima de 60 anos e pessoas que apresentam doenças associadas são prioridade, levando em consideração que a maior incidência de complicações e mortes está relacionada a esses fatores.

“Os casos de Pernambuco são casos que migraram de outros países. O nível de prevenção e preocupação permanece o mesmo. Claro que com a decretação de pandemia, com mais de 120 países com casos da doença, há um planejamento maior em tratar os pacientes. O foco é com nossos idosos, acima de 60 e com pessoas que apresentam doenças associadas, que são os que apresentam maior índice de complicação ou morte”, destacou.

O secretário ressaltou que há uma tendência de aumento no número de casos nos próximos 15 dias no país. Já nos próximos 21 dias, o Brasil pode registrar 30 mil infecções pelo novo vírus.

“A realidade nacional é outra. Nós temos mais de 50 casos confirmados no Brasil e há uma tendência nos próximos 15 dias um aumento substancial de casos de coronavírus no país. Em 21 dias pode ter um volume grande, com uma pressão de até 30 mil casos, como ocorreu o mesmo fluxo na Europa e na China”, afirmou.

Ele rechaçou as notícias falsas relacionadas a confirmação de um caso da doença no estado e lembrou que até o momento, a Paraíba tem 10 casos suspeitos, que estão sendo analisados pelo Instituto Evandro Chagas, em Belém do Pará.

“É lamentável em um momento como esse, um tema preocupante de saúde pública as pessoas utilizarem fake news. Ontem a noite divulgaram um comunicado de um caso confirmado na Paraíba, mas logo em seguida nós desmentimos por meio de nota essa informação. Até o momento não temos nenhum caso confirmado. Temos 10 casos suspeitos, aguardando o resultado do material que foi coletado e enviado para o Instituto Evandro Chagas, em belém do Pará”, lembrou o secretário.

Comente