Saúde abre congresso sobre Rede Escola em João Pessoa

    0

    A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio do Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor-RH/PB), abriu, nessa terça-feira (18), o “I Congresso Rede Escola SUS-PB” e a “I Mostra de Experiências do Cefor-PB”. Os eventos acontecem em João Pessoa até esta quinta-feira (20) e são voltados para estudantes, profissionais das instituições de ensino conveniadas com a SES e dos serviços de saúde, além dos demais inseridos no Sistema Único de Saúde (SUS), para tratar do tema campo de prática e aprendizagem continuada para uma saúde pública humanizada.

    A secretária executiva de Saúde da Paraíba, Cláudia Veras, participou da solenidade. “Um dos grandes desafios do SUS é saber o que precisa melhorar e fazer o redirecionamento das ações. E a educação continuada é um excelente caminho para isso, pois nos proporciona o uso de novos métodos e tecnologias”, destacou.

    Segundo a diretora geral do Cefor-PB, Candice Chiara, com este evento o Cefor-PB pretende provocar uma aproximação entre as instituições de ensino, os serviços de saúde, gestores, profissionais e estudantes. “Com isso, a nossa intenção é favorecer um diálogo no sentido de fortalecer o SUS, de forma mais ampliada, uma vez que a formação está relacionada às práticas de saúde”, observou.

    A Rede Escola possui 45 instituições de ensino, entre escolas técnicas e universidades, e é coordenada pelo Cefor-PB. Para o coordenador da Rede, Pedro Alberto Rodrigues, o Congresso é a continuidade de um processo iniciado há um ano com o convênio das instituições. “Após os convênios houve a avaliação do fluxo – estágio, pesquisa e extensão – e agora, o ápice, que é o Congresso com a participação das instituições, profissionais e estudantes”, lembrou.

    Para Millena Correia, estudante de Farmácia da UFPB, o evento traz o que há de mais importante que é a integração entre serviço e ensino. “Já fiz estágio na atenção básica e vi a importância da educação continuada em saúde. Por exemplo, numa comunidade onde percebe-se a necessidade de alertar a população sobre higiene básica, é imprescindível a união entre os profissionais e os estudantes nesta empreitada. Isso mostra que a educação em saúde é um fator determinante para que a assistência seja cada vez melhor”, avaliou.

    De acordo com a programação, durante os dois dias serão realizadas palestras e oficinas. A técnica em Enfermagem, Cristina Santos, que trabalha na Maternidade Frei Damião, se inscreveu no minicurso sobre sífilis e sífilis congênita. “Esses temas me chamam bastante atenção porque percebo que há muitas mães com o problema e a causa é a total falta de informação. Por meio deste curso, pretendo aprender formas de ajudar essas mulheres”, falou.

    Comente

    Antares

    Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
    Facebook, Twitter e Youtube.

    Interaja com o Paraíba Já:
    E-mail: [email protected]

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here