Samu-JP registra mais de 26 mil ligações em março; 362 referentes à Covid-19

Ações são de socorro, com procedimentos feitos no local e, se necessário, o paciente é encaminhado à rede de hospitais

PMJP recebe novos respiradores e Capital soma 142 leitos de UTI para Covid
Dois respiradores irão para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) da PMJP - Foto: Divulgação

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de João Pessoa recebeu 26.547 ligações no mês de março. Conforme levantamento do setor de Estatísticas do Samu, o total de atendimentos realizados em geral, foram de 7.806, sendo 4.605 exclusivamente em João Pessoa. Ao todo, os atendimentos referentes à Covid-19 somaram 362. Os atendimentos realizados pelo Samu são de socorro, com procedimentos feitos no local e, se necessário, o paciente é encaminhado à rede de hospitais.

Com relação à Covid, os procedimentos são feitos na casa do paciente e, quando necessário, este é encaminhado para uma das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Capital. Segundo o coordenador do Samu, Galileu Machado, o Serviço de Atendimento Móvel continua atendendo normalmente as urgências e emergências, assim como passou a atender solicitações geradas pela Covid-19, com o mesmo cuidado e presteza que lhe é peculiar.

No geral, foram realizados 1.570 atendimentos locais, dos quais pode-se destacar, 386 referentes à síndromes gripais, 662 atendimentos de traumas, 1.399 atendimentos clínicos, 184 psiquiátricos e 43 Acidentes Cardiovasculares.

Galileu Machado destaca que entre as principais ocorrências atendidas pelo Serviço estão acidentes de trânsito, situações neurológicas, psiquiátricas, traumas (quedas) e cardiológicas. “Também são atendidas vítimas de desmaios com perda da consciência, mal súbito, problemas cardíacos e respiratórios de início súbito, convulsão, crises epilépticas, dor no tórax de origem súbita, pressão baixa ou alta, trabalho de parto com risco de morte para a mãe ou para o feto e problemas psiquiátricos em crise”, completou.

O Samu deve ser acionado também em casos de trauma com envolvimento de vítimas que apresentem sangramentos, hemorragias, intoxicações acidentais, engasgos, envenenamento e tentativas de suicídio, quedas, fraturas, queimaduras graves e acidentes de trânsito com vítimas.

Durante o socorro, o Samu atua em conjunto com o Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar, dependendo do tipo de chamado. Em casos de afogamentos, choques elétricos e em acidentes de trânsito com vítimas presas as ferragens, o Samu deve ser acionado em conjunto com os Bombeiros pelo telefone 193.

Em casos de acidentados nas rodovias, o serviço deve ser acionado junto à Polícia Rodoviária Federal pelo número 191. E, quando se tratar de ferimentos por arma de fogo e arma branca, o serviço deve ser acionado em conjunto com a Polícia Militar 190.

Trotes

O Samu lembra que passar trote aos serviços de emergência é um crime previsto no Código Penal e, quando identificado, o autor é enquadrado no artigo nº 340 do Código Penal por falsa comunicação de crime ou de contravenção, cuja pena é detenção de um a seis meses ou multa. Mesmo sendo crime, cerca de 3.978 ligações foram relacionadas à trotes.

O trote gera prejuízos e prejudica não apenas ao serviço, mas também a toda a população.  “São vários danos causados como a ocupação das linhas telefônicas, fazendo com que deixem de ser atendidas as ligações de situações reais, causa o acionamento da ambulância que, ao chegar ao local informado e não existindo a ocorrência, deixou de atender uma real situação de socorro, fora os gastos gerados desnecessariamente de combustível e depreciação da ambulância”, explica o coordenador geral do Samu.

Samu Regional João Pessoa

O serviço é estruturado por quatro Unidades de Suporte Avançado de Vida (USA), sete unidades de Suporte Básico de Vida (USB) e sete motolâncias. Para acionar o serviço, o usuário deve ligar gratuitamente para o número 192.