Robôs bolsonaristas têm queda no Twitter após ação na Polícia Federal

A ação de busca e apreensão da Polícia Federal sobre investigados por disseminar fake news e ameaças contra ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) fez a atuação de robôs e perfis alugados ligados ao bolsonarismo despencar nas redes sociais.

Pé no freio

De acordo com levantamento da consultoria AP Exata, as publicações dos chamados perfis de interferência caíram de uma média de 14% para 10% no Twitter. Elas já chegaram a ter pico de 17%.

Coração

A ação do STF, na análise da consultoria, parece ter atingido o sistema de disseminação de informações feita artificialmente por meio desses perfis.

É guerra

Por outro lado, a ofensiva do STF mobilizou influenciadores da base bolsonarista, como deputados e até os filhos do presidente Jair Bolsonaro. Eles passaram a atuar de forma mais forte e orgânica nas redes, unificando o discurso contra o ministro Alexandre de Moraes, que comanda o inquérito das fake news e determinou as buscas.

Top

O ponto alto foi uma live no YouTube na quarta (27) que contou com a presença de estrelas do bolsonarismo, como Olavo de Carvalho e o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente.

No vermelho

Ainda assim, Bolsonaro seguiu tendo mais menções negativas do que positiva no Twitter —53% a 47%.

Ordem

A AP Exata avalia que, se os perfis de interferência forem mesmo desmobilizados, os bolsonaristas passarão a ter menos força para impor suas narrativas nas redes.

Da Folha de São Paulo.